Entenda como projetar os cenários financeiros do seu negócio

Cada dia mais se busca entender e monitorar os resultados das empresas, para isso a primeira ação é mensurar a situação financeira do negócio, de modo a conhecer o estado atual e a utilizar de tais informações para fazer projeções futuras.

            Quando se fala em projeções futuras, logo vem à tona o conceito de construções de cenários, o que nada mais é que um processo de examinar e averiguar possibilidades futuras, a fim de atingir resultados possíveis.

            Durante a modelagem financeira de empresas, essas previsões são comumente usadas para estimar e se preparar para mudanças no valor do negócio e para entender como o fluxo de caixa pode vir a se comportar, principalmente quando da existência de eventos decisivos, sejam eles potencialmente favoráveis ou com capacidade de impactar negativamente.

            Além das utilidades já explicadas, muitos gestores financeiros projetam cenários para identificar o pior ou melhor deles quando fazem a aquisição de um investimento, seja ele um ativo físico ou até alguma antecipação de capital, ou ainda para se prevenir de possíveis perdas.

      Como gerar os cenários?

A projeção futura é embasada inicialmente com o entendimento da situação corrente, ou seja, antes de se preocupar com a condição futura, é imprescindível que haja conhecimento assertivo quanto ao estado das finanças. Tal conhecimento pode ser obtido através da análise baseada no Fluxo de Caixa e de Demonstrativos de Resultados dos últimos períodos, preferencialmente com um intervalo de pelo menos um ano, podendo variar de acordo com a disponibilidade dos dados da empresa.

Tendo a situação atual conhecida, é importante que haja uma interpretação dos dados coletados, principalmente quando houver eventos pontuais em algum período, como uma perda significativa de produtos avariados, ou em caso de um pico de vendas. Nestes casos, recomenda-se fazer um estudo de causa quanto à natureza dessas ocorrências, haja vista que não são corriqueiras.

Além de conhecer e interpretar os dados relativos à situação financeira, a construção de cenário requer o entendimento quanto ao mercado em que o negócio está inserido. Tal análise de mercado deve contemplar o crescimento ou regressão, surgimento e posicionamento de concorrentes, o advento de produtos/serviços substitutos e até o perfil do público alvo.

 

Sendo a situação da empresa conhecida e analisada, bem como o mercado e possíveis interferências externas, ocorre a construção de três cenários: o primeiro é o chamado realista ou cenário base, a partir dele cria-se uma versão pessimista e outra otimista.

  • Cenário base ou realista: como o próprio nome sugere, esta construção é feita a partir de premissas de gerenciamento, as quais são embasadas pelo cálculo do valor presente líquido, das prováveis taxas de descontos, além da taxa de crescimento de fluxo de caixa ou de impostos e a tendência de crescimento ou regressão do mercado;
  • Cenário pessimista: conhecendo o cenário base, essa construção se vale de resultados mais graves, ou seja, aplicação de maiores taxas de descontos, além de uma menor taxa de crescimento de fluxo de caixa e menos influência positiva advindos do meio externo, como por exemplo regressão do mercado;
  • Cenário otimista: assim como o pessimista, esse se baseia no cenário realista, agora dando maiores influências positivas, tanto do meio interno (menores taxas de desconto e maiores taxas de crescimento de fluxo de caixa), quanto do meio externo. Normalmente, este é o cenário utilizado pelos gestores para gerar maior estímulos para o atingimento dos objetivos e metas.

 

      Como acontece na prática?

Na prática, a construção de cenários nada mais é que, a partir um planejamento base, fazer alterações fundamentadas em variáveis chaves para o modelo de negócio da empresa.

Contundo, mais importante que saber quais são as variáveis corretas, é saber como fazer as perguntas certas de acordo com o real objetivo da projeção de cenários.

  • Perguntas para análise de aquisição de maquinário
  1. Precisaremos contratar mais pessoas?
  2. Precisaremos investir em expansão de espaço?
  3. Temos espaço suficiente para estocar?
  4. Precisaremos adquirir mais algum equipamento ou contratar mais algum?
  5. Temos um fluxo de caixa equilibrado?
  • Perguntas para análise de redução de gastos
  1. Precisaremos demitir algum funcionário?
  2. A redução de gastos pode comprometer o volume de vendas?
  3. Precisaremos nos desfazer de algum equipamento?
  4. Precisaremos realocar algum recurso ou colaborador? Isso implica em algum investimento?
  5. Precisaremos reincidir algum contrato?
  6. Nosso fluxo de caixa está preparado para as alterações?
  • Perguntas para análise de oscilação no cenário econômico-financeiro
  1. Houve alguma alteração na cotação do dólar?
  2. A bolsa de valores sofreu alguma mudança drástica?
  3. Conhecemos o menor valor de aquisição de mercadoria?
  4. Conhecemos o valor do nosso estoque?
  5. Se houver variação nos preços dos nossos fornecedores, temos capital o suficiente para suprir esta mudança?

Quais os benefícios de fazer projeção de cenários?

Como supracitado, existem várias justificativas para que gestores e investidores façam essa projeção de cenários, a principal delas é prever o futuro do negócio, de modo a minimizar riscos e ampliar possibilidades.

Além desse, uma boa projeção de cenários contribui para:

     Planejamento futuro: possibilita uma visão sobre retornos e riscos esperados, principalmente sobre investimentos futuros. Assim, como o objetivo de qualquer empreendimento é ter maiores receitas, calcular os cenários dá subsídio para decisões mais assertivas;

          Minimizar perdas: a construção correta de cenários evita ou reduz a possibilidade de perdas relativas a fatores incontroláveis, agindo de forma preventiva através dos cenários piores (pessimistas), dando condições de analisar eventos ou situações com potencial negativo de resultados;

          Evitar riscos e falhas: um bom planejamento de cenários evita más decisões, já que permite avaliar as perspectivas de investimentos, fazendo uma ponderação entre as melhores e piores possibilidades;

          Projeção de retornos e perdas: por permitir a previsão de ganhos ou perdas potenciais, a projeção de cenários fornece dados mensuráveis para basear abordagens rumo aos melhores resultados.

Conclusão

          Diante de todas as informações apresentadas, você já sabe como entender a situação financeira do seu negócio e como, a partir dela, fazer projeções e entender possibilidades futuras.

Assim é possível se planejar, para analisar e entender os riscos e possibilidades de retornos, além de fazer uma projeção correta, focando em minimizar perdas. Tendo esse conhecimento, você será capaz de evitar riscos e falhas, propiciando condições mais assertivas para o futuro do seu negócio.

Agora que você já sabe o que precisa, entende o que são os cenários otimistas, realistas e pessimistas, conhece algumas dicas de como fazer as perguntas certas, você já pode começar analisando seus dados financeiros e estimar projeções para o futuro da sua empresa.

E claro: caso você deseje que a FCAP JR. Consultoria te ajude a impulsionar o seus resultados, basta clicar aqui e solicitar uma reunião gratuita conosco!



Deixe um comentário!