Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Planejamento Estratégico: Defina Aonde a sua Empresa quer Chegar

Todos os dias o mercado desenvolve um constante crescimento no número de empresas e de ideias para novos negócios, tornando o mercado mais competitivo. Diante disso, elaborar um planejamento estratégico se torna cada vez mais necessário para qualquer empreendedor.

 

O Planejamento estratégico  é uma competência administrativa fundamental para que as empresas não só pensem, mas tragam resultado a longo prazo.Assim, essa prática se mostra imprescindível na conjuntura empresarial em que vivemos, pois ela é responsável por ajudar no desenvolvimento da empresa e ou para tirar suas ideias do papel. Para todo empreendedor que almeja crescer, desenvolver um planejamento estratégico é um passo essencial que requer eficiência e conhecimento. Tendo em vista a grande variedade de práticas existentes, além da profundidade existente na sua aplicação.  

Planejar o que será realizado e como deve ser feito, definindo metas e como alcançá-las são algumas das funções do Planejamento Estratégico. Para que todos esses objetivos sejam alcançados existem diversas ferramentas que podem ser utilizadas. Para  ajudar você, empreendedor a decidir quais usar, selecionamos algumas delas:

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS

As diretrizes estratégicas constituem-se como ponto inicial, sendo extremamente necessária para o planejamento estratégico, elas têm por base três pilares (missão, visão e valores). Empresas de grande, médio ou pequeno porte atualmente seguem esse modelo, que se mostra necessário para definir pontos fundamentais do empreendimento. A razão da existência de sua empresa, o futuro dela, onde ela estará e todas as suas crenças e convicções são representados por essas 3 diretrizes.

Em um conteúdo passado, a FCAP JR. CONSULTORIA já falou mais aprofundadamente sobre as diretrizes estratégicas, além de outras ferramentas, Clique aqui para ler sobre elas.

ANÁLISE S.W.O.T

Uma vez que já se tem definido quem é a empresa, seus objetivos e seus valores, o próximo passo é entender onde você está inserido, seus pontos fortes e fracos. Nesse viés, a ferramenta “matriz swot” se torna a mais indicada, uma vez que ela determina suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças na visão do mercado.

Como o proprio nome sugere, SWOT – strengths, weaknesses, opportunities, threats- é um indicador de posicionamento de mercado, que realiza comparativo.

Depois de reconhecidas características nos 4 pilares, é o momento de criar comparativos entre as mesmas, a fim de gerar pontos de melhoria para se destacar no mercado. Por exemplo:

As forças da empresa podem ser amplificadas por meio das oportunidades de mercado?
As forças podem reduzir os riscos de ameaças?
As fraquezas podem deixar as ameaças ainda mais perigosas ou barrar oportunidades?

Uma vez que se obtém as respostas do cruzamento dos campos, o processo de gerar soluções se torna mais objetivo e direcionado, abrindo espaço para uma segunda análise.

5 FORÇAS DE PORTER.

As 5 forças competitivas de porter, podem ser vistas como ferramentas objetivas para sondar e medir como é a competitividade do mercado que sua empresa está inserida.
De acordo com Porter, as 5 forças competitivas do mercado são:

1-Rivalidade entre concorrentes
2-Poder de negociação dos fornecedores
3-Ameaça de produtos substitutos
4-Ameaça de entrada de novos concorrentes
5-Poder de negociação dos clientes

De acordo com Porter, a rivalidade entre concorrentes se mostra a força mais significativa das 5. Esse ponto visa entender seu concorrentes diretos, acompanhar suas estratégias, desenvolvimento, público-alvo, falhas e vantagens. Dessa maneira, empresas que possuem uma rivalidade entre concorrentes bem analisada, pode evitar erros já realizados por essas empresas, ou adotar boas práticas usadas por elas.

Com o poder de negociação dos fornecedores, se torna necessária a análise do impacto que seus fornecedores possuem no seu produto e no desenvolvimento do seu negócio. Tal análise vai mostrar se você depende de seu fornecedor, ou se seu fornecedor depende de você, mostrando se é preciso – ou não – ampliar sua rede de fornecedores.

A ameaça de produtos substitutos, como o nome implica, faz referência à concorrência indireta, de produtos que não são os mesmo que os seus, mas satisfazem os clientes. Portanto, liste os concorrentes que possuem produtos que trazem benefícios parecidos ou iguais ao seu e invista em cima dessa análise. Fazendo com que seu produto se sobressaia de maneira a ser insubstituível.

A ameaça de entrada de novos concorrentes, para Porter, se baseia na reflexão das maneiras que podem ser feitas para impedir a entrada de novos players no mercado. Em um mercado já concorrido, o poder de negociação dos fornecedores e dos compradores tendem a subir, por isso, diminuir a concorrência é essencial. Algumas das práticas utilizadas para esse impedimento são: Economia de Escala; Capital Necessário; Acesso aos canais de distribuição, Patentes e Contratos de exclusividade.

Para finalizar, o poder de negociação dos clientes, serve como um comparativo em relação ao impacto que os consumidores aplicam no seu produto. Impacto que fica evidente uma vez que quem define o valor que o seu produto ou serviço tem, são seus consumidores. Portanto, quanto maior o nível de competição do mercado em que seu produto está inserido, maior é o controle dos próprios compradores sobre suas vendas.

Após definir sua posição de mercado, a situação da concorrência e dos impactos causados por fornecedores e consumidores, é natural ir para o próximo passo, Metas empresariais.

OKR/METAS SMART

OKR (Objectives and key results) é uma das maneiras mais inovadoras e mais usadas atualmente para definir e metrificar metas estipuladas por empresas. Essa ferramenta consiste em definir objetivos (qualitativos) que serão destrinchados em resultados chaves (quantitativos) .

O objetivo da empresa, será a declaração da direção desejada pela organização, que para se tornar impactante para as pessoas envolvidas, precisa ser vividamente descrito. Já os key results (resultados chave), serão as metas com impacto direto no atingimento do objetivo estipulado, caso seja realizado com sucesso.

Enquanto os objetivos devem ser concisos e claros para estarem sempre na cabeça dos colaboradores, os key results são usados para indicar se o objetivo foi atingido. Quando bem feito, eles se tornam uma ferramenta de gestão e comunicação muito eficaz, pois auxiliam na criação de foco e alinhamento de toda equipe em um objetivo desafiador.

Exemplo de OKR:

Dessa maneira, existem 3 objetivos claramente definidos:

1- Melhorar a satisfação dos clientes.
2-Alcançar métricas recorde em marketing.
3-Definir e promover a cultura e os valores da empresa.

Cada um desses objetivos é seguido por 2 key results, que vão servir como caminho para o alcance desse objetivo. Logo a empresa possui um objetivo claro, com um caminho estipulado para alcançá-lo.

CONCLUSÃO:

Além de todas as ferramentas apresentadas, é importante ressaltar que a depender da situação, algumas podem se tornar mais propícias que as outras. Em um cenário com diversos meios, para estipular ou medir objetivos, ferramentas como Matriz BSC, Metas SMART ou 5W2H podem vir a substituir o OKR. Se tratando de percepção de mercado e análise concorrencial, as Forças de porter e SWOT, podem abrir espaço para ferramentas como Matriz ansoff, BCG ou Análise PEST.

Todas essas ferramentas citadas existem por um único propósito, ajudar a empresa a otimizar seus resultados, e solucionar seus problemas.

Espero que tenha gostado deste blog post. Caso tenha alguma dúvida acerca do conteúdo, teremos o maior prazer em ajudar!

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Se inscreva na nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores e mais atualizados conteúdos sobre gestão e leve sua empresa para um novo patamar. É simples, digite seu nome e e-mail abaixo: