Gestão financeira na construção civil para os negócios

6 dicas para uma boa gestão financeira na Construção Civil

Contar com uma boa gestão financeira é primordial para o crescimento saudável de qualquer empresas, inclusive as do ramo de construção civil.

Muitos acreditam que por elas estarem envolvidas em acompanhamento e entrega de obras, esses tipos de empresas devem focar apenas em mão-de-obra e produtos. Porém, esse é um erro bastante grave.

Justamente por lidar diariamente com variação de valores, altas no mercado e fatores externos para continuar seus serviços, o ramo de construção civil é um dos que mais precisam de uma gestão financeira eficiente, principalmente porque ela elimina riscos e faz um acompanhamento completo das finanças.

Este post vai te ajudar a entender mais como a gestão financeira pode ser aplicada na construção civil.

A importância da gestão financeira na construção civil

O ramo da construção civil vai muito além do que aparenta, pois ele envolve diferentes atributos como matemática, estatística, legislação, administração e muitos mais em apenas uma construção.

Dessa forma, como uma empresa desse segmento geralmente acompanha vários tipos de obras, todos os profissionais envolvidos nesse meio devem ter sempre um olhar atento aos detalhes, a fim de que os resultados finais saiam sempre excelentes para os clientes.

Agora você já parou para imaginar se uma dessas empresas, responsáveis por obras em diferentes lugares,  não contam com um monitoramento financeiro eficiente?

Com certeza o resultado esperado será desorganização e conflito de informações, além de uma entrega mal feita.

Por isso a gestão financeira torna-se tão importante. Afinal, é ela quem vai indicar o volume atual do caixa, controlar todas as saídas, monitorar desempenhos e identificar oportunidades. 

Além disso, com um acompanhamento completo também é possível fazer pesquisas para encontrar os melhores custo-benefícios, sem, claro, deixar de lado a qualidade na hora da entrega. 

6 dicas para fazer uma gestão financeira na construção civil

Na hora da prática, muitas dúvidas podem surgir. Por isso, neste tópico trouxemos 6 dicas para quem deseja saber mais sobre aplicabilidade da gestão financeira na construção civil.

Confira cada uma delas:

  1. Realize um cronograma com todo o orçamento

É bem improvável que você vá conseguir fazer toda a gestão da obra sem saber ao certo o quanto a empresa está disponível para investir. Pois nada melhor que aliar cronogramas com valores reais. 

Dessa forma, elabore um documento que liste todos os cronogramas das obras e o quanto será gasto em cada uma delas. 

Isso não só trará uma previsão real para a equipe, além de reservas de emergência para evitar surpresas desagradáveis. 

Lembre-se: sempre podem surgir imprevistos para atrapalhar a velocidade das obras, por isso ao fazer o cronograma, não se esqueça de incluir algumas previsões de atrasos. 

Isso trará mais conforto na hora do desespero não só para quem está executando a obra, como para quem a está supervisionando. 

  1. Fiscalize as obras

Todo planejamento para ser eficaz deve ser acompanhado. Por isso, a equipe responsável deve fazer visitas regularmente à obra para saber  se os recursos estão sendo bem aproveitados e se as operações estão sendo realizadas.

Essa é uma forma eficiente de fazer o gerenciamento a fim de evitar erros ou ruídos entre equipes.

  1. Realize a apropriação de custos

Essa ferramenta trata-se do lançamento de todas as contas a pagar para, assim, obter o verdadeiro valor da obra, incluindo até os que não foram previstos na etapa de planejamento do orçamento.

Essa é uma ação importante, pois a falta de recursos pode parar uma obra, o que representa prejuízo e atrasos. 

  1. Sempre avalie os indicadores

Medir o desempenho das obras também é uma etapa imprescindível, por isso não pode ser esquecida.

Existem algumas ferramentas que facilitam bastante esse processo. Algumas delas são:

  • Índice de Desempenho de Qualidade (IDQ) – Serve para os gestores do projeto terem uma visão mais ampla da qualidade de execução da obra. Isso permite não só o acompanhamento como também a visão de possibilidades de melhorias;
  • Índice de Desempenho de Custos (IDC) – Este índice serve, basicamente, para ver a relação entre um orçamento previsto e o disponível. Com ele é possível ter uma probabilidade de retorno para todo valor empregado;
  • Índice de Desempenho de Aquisições (IDA) – O uso desse desempenho permite medir o desempenho de consumo e todos os custos dos recursos adquiridos pela empresa. Por meio dele é possível identificar falhas na execução e implementar novas ideias;
  • Índice de Desempenho de Projeto (IDP) – Aponta a evolução da obra de acordo com o cronograma proposto. Por isso, ele é indispensável para o acompanhamento completo.
  1. Analise sempre o fluxo de caixa

Essa é uma ação bastante estratégica para acompanhar o excesso ou ausência de recursos no caixa de uma organização, uma vez que o fluxo de caixa permite visualizar os meses em que a empresa precisará, entre outras perspectivas, ficar no vermelho.

Além de outras ações como gastos pontuais e negociação com fornecedores, que fazem com que os gestores da obra a direcione para uma melhor desenvoltura e evolução.

  1. Fazer uma análise completa dos resultados

No tópico 4 falamos sobre os índices que permitem acompanhar muitos dados importantes das obras. Mas, em conjunto com o uso desses índices, é importante ressaltar que todos os resultados também devem ser analisados. 

Afinal, esse é um erro que muitos gestores de obras cometem: implementar ações e não medir seus resultados depois.

Portanto, atente-se aos resultados! Além de desempenho de equipes, eles também servem como prova social para captar novos clientes e, consequentemente, possíveis obras.

Principais desafios financeiros na construção civil

Quem é do mercado de construção civil sabe o quanto é complicado manter uma obra bem executada no orçamento previsto e tempo determinado. Outros fatores, como baixa produtividade, também fazem com que os gastos se elevem e atrapalhem toda entrega do projeto.

Dessa forma, um dos principais desafios financeiros enfrentados é manter o caixa positivo durante toda a execução da construção, principalmente porque construir é sinônimo de custos altos, o que, consequentemente, torna a gestão financeira burocrática. 

Assim, pode-se observar que orçamentos são uma grande problemática quando o assunto é gestão financeira, principalmente para encontrar valores compatíveis com a realidade do mercado. 

Por isso, há vários motivos para se utilizar a gestão financeira.

Além disso, é importante ressaltar também que nem sempre é possível zerar falhas, porém com um monitoramento completo há várias chances dos erros serem minimizados e até previstos.  

E, antes de esperar o problema chegar, é bem mais eficiente usar tecnologias existentes para evitá-lo. Por isso, não hesite em mensurar todos os pontos importantes com receio de gastar tempo em vão.

Conclusão

Como você já deve bem ter percebido, analisar a gestão financeira na construção civil não significa apenas verificar custos, mas sim acompanhar a evolução dos projetos e identificar todos os pontos de melhoria.

Dessa forma, ficam para trás as empresas e os profissionais que não usam as ferramentas que a gestão financeira dispõem.

Por isso, independente do tamanho da obra, não deixe de utilizá-las. Isso com certeza trará resultados reais e eficientes que farão toda a diferença na execução do projeto.

E caso você precise de alguma ajuda em relação a isso, basta entrar em contato conosco. Dispomos de soluções financeiras completas para diferentes ramos empresariais, inclusive as do ramo de construção civil!

Fale conosco agora mesmo!

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Se inscreva na nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores e mais atualizados conteúdos sobre gestão e leve sua empresa para um novo patamar. É simples, digite seu nome e e-mail abaixo: