Fluxo de caixa: o que é e qual sua relevância no mercado?

Muitos empresários perguntam: "O que é fluxo de caixa e por que é tão importante?" De forma objetiva, fluxo de caixa nada mais é que a quantidade de dinheiro que entra em um negócio e a quantidade de dinheiro que sai.

Para melhor entender, é interessante que se pense nisso como um tanque de água: a água entra no topo e escoa para o fundo. Assim sendo, para manter seu tanque em conformidade e, além disso, cheio, tem-se que fazer com que haja mais entrada que saída.

Resolvida a dúvida, certo? Bem, na verdade não. Para melhorar ainda mais a compreensão do conceito de fluxo de caixa e como ele pode impactar nas decisões e nos resultados de uma empresa, é importante conhecer alguns termos, além de seguir algumas dicas.

  • Entrada de caixa

A entrada de caixa é a força vital para qualquer negócio e ele provem de fontes como pagamentos de clientes, recebimento de um empréstimo, infusão monetária de um investidor ou juros de poupança ou investimentos. Sua importância é tal que mais tarde a entrada se torna o pagamento de saídas que fazem o negócio funcionar, tais como os custos de armazenamento de estoque de produto acabado ou matérias-primas, além dos salários de funcionários, aluguel e outras despesas operacionais.

Naturalmente, o fluxo de caixa positivo é o preferido, visto que o saldo positivo significa que a empresa está funcionando sem problemas. Um fluxo de caixa positivo alto é ainda melhor, muito porque permitirá que novos investimentos sejam feitos, como a contratação de novos colaboradores, expansão do espaço físico, aquisição de ferramentas e outros aspectos capazes de ampliar o negócio.

  • Saída de caixa

Ao contrário do que foi supracitado a respeito da entrada de caixa, a saída, como o próprio nome sugere, está relacionada aos montantes que são removidos do caixa. Sua justificativa está atrelada ao pagamento de custos e despesas necessários para a operação do negócio.

Apesar da necessidade de saídas para manter a operação, é importante que haja um controle eficiente, tal que se sai apenas o que é fundamental, não sendo recomendado que o caixa seja diminuído sem um motivo justo e interessante para o negócio.

Sendo assim, como já mencionado, é importante que haja o maior volume de dinheiro em caixa, o que implica dizer que é mais interessante que se haja mais entradas e menos saídas. Caso o excesso de retiradas ocorra, o equilíbrio do caixa pode ser comprometido, podendo chegar a situações de saldo negativo, ou seja, mais saídas que entradas.

  • Planejamento de caixa

Manter o fluxo de caixa com valores positivos é resultado de organização e planejamento. Desse modo, é imprescindível que se faça uma análise da quantidade de dinheiro que se tem em caixa, seja ele oriundo de investimentos, da conta bancária do negócio, recebimentos de clientes ou pela aquisição de empréstimos.

Depois de conhecer a quantidade atual em caixa, é sugerido que se liste e analise todos os gastos e despesas necessários para manter o negócio em operação. Essa análise pode ser feita com dados históricos, como uma espécie de previsão, além de contemplar saídas já programadas.

Durante a seleção dos gastos, é importante que haja atenção aos detalhes, como pagamentos de taxas bancárias, legais e contábeis, licenças e autorizações, segurança, contrato de aluguel, despesas de marketing, além dos suprimentos, materiais de escritório, móveis e equipamentos.

Feita a seleção de saídas, também aproveitando dados históricos e previsões de receitas, é importante a identificação das fontes de caixa. A história não pode prever o futuro, mas pode criar uma imagem decente de como será o futuro e quais mudanças nos negócios precisaram ser feitas.

A coisa mais importante sobre esse processo é ser honesto e objetivo. Se os custos parecerem altos, simplesmente projetar mais vendas quando não tiver a capacidade de fechar essas vendas não encherá esse proverbial tanque de água. Pensando assim, talvez haja um aperto na saída. Logo, o pensamento deve ser: O que pode ser reduzido ou cortado?

  • Ser pago é importante! Como melhorar o fluxo de recebimento?

Conhecer o perfil do cliente é a primeira fase para que os recebimentos ocorram de maneira tranquila e sem grandes adversidades. Assim, mesmo o cliente sendo mais liberal para pagar e retarde os recebimentos planejados, existem algumas dicas para que ser pago não seja uma dificuldade tão grande.

  • Emitir faturas prontamente e acompanhá-las regularmente. Parece simples, mas muitas pessoas adiam ou evitam pagar aos outros simplesmente porque não gostam de se separar do dinheiro;
  • Oferecer um desconto para pagamento antecipado. Se o contrato padrão tiver um prazo de 30 dias, é interessante que seja dado um pequeno desconto para pagamento no prazo de 10 dias;
  • Estruturar o pagamento com um depósito adiantado ou, se for um projeto longo, programar intervalos de pagamento ao longo da vida útil do projeto. Isso garantirá que algum dinheiro seja recebido ao longo do caminho.
  • Pagar de maneira inteligente também faz a diferença, mas como?

A primeira coisa que deve ser entendida quanto ao pagamento de contas, ou seja, saídas de caixa, é que eles devem acontecer, não tem como mudar isto. Sendo assim, fazer o pagamento dentro do prazo estimado, além de evitar juros, multas e outras taxas, fortalece a confiança com os credores.

Apesar de ser algo básico e implícito, existem alguns pontos que merecem ser contemplados a respeito dos pagamentos para que o fluxo de caixa se mantenha positivo:

  • Usar o prazo de pagamento ao máximo: se tiver um prazo de trinta dias em uma fatura, é interessante que se vá em frente e use os trinta dias para acumular o dinheiro. Dessa forma, acontecerá uma melhor noção do comportamento do fluxo de caixa, principalmente quando simplesmente agendar o pagamento para o dia em que a fatura for recebida;
  • Verificar se há descontos para pagar antecipadamente aos fornecedores;
  • Perguntar sobre as condições flexíveis de pagamento ao fazer um acordo com um fornecedor. Nunca se saberá se não perguntar e isso pode ajudar rapidamente. Contudo é recomendável cautela: solicitar condições flexíveis de pagamento antes que um acordo seja feito pode levantar suspeitas.
  • Criar um relacionamento real com os fornecedores. Uma relação de confiança e honestidade pode ajudar bastante a tornar a saúde financeira do negócio mais fácil, principalmente quando se desejar algum benefício ou contrapartida.
  • Mas, então, qual a importância de se manter um fluxo de caixa organizado?

O entendimento do fluxo de caixa já foi apresentado, além de algumas dicas de como mantê-lo organizado e com saldo positivo. Contudo, ainda não foi enfatizado o porquê de se fazer tudo isso. Abaixo seguem 5 motivos para se preocupar com a alimentação e manutenção do fluxo de caixa,

  1. Planejamento à curto prazo:

    O fluxo de caixa é uma ferramenta útil para o gerenciamento da empresa, principalmente para o seu planejamento recente, visto que possibilita a manutenção de uma quantidade mínima de saldo para que os pagamentos sejam feitos, além dar condições de projetar entradas e saídas para um futuro próximo;

  2. Entendimento de como o dinheiro está sendo gasto:

    Existem saídas que não são detalhas no Demonstrativo do Resultado do Exercício, contudo tal detalhamento pode ser percebido através da análise do fluxo de caixa, dando condições para uma melhor compreensão de como a empresa está gastando e, a partir daí, tomar decisões rumo aos melhores resultados;

  3. Geração de excesso de caixa:

    Como já falado, é interessante que o fluxo de caixa esteja o mais positivo possível, visto que o lucro contribui para o acúmulo de dinheiro. Assim esse acúmulo pode ser investido e melhorar o desempenho financeiro da empresa;

  4. Análise do planejamento de caixa:

    A manutenção do fluxo de caixa permite comparar o resultado real com o que foi planejado. A partir disso, a empresa poderá tomar medidas adequadas, como a definição de requisitos de caixa para o futuro;

  5. Conhecimento do nível ideal de saldo em caixa:

    A alimentação e análise do fluxo de caixa permite a empresa conheça como o dinheiro da empresa está se comportando. Assim, poderá determinar um limite mínimo de saldo em caixa e surgirá a possibilidade de investimentos em caso de excedente, ou de medidas de retenção, caso contrário.

  • Conclusão

Manter o fluxo de caixa da empresa atualizado e corretamente alimentado, além de tudo alimentado, permite a possibilidade de geração de dados e informações importantes para tomada de decisão para o futuro da organização.

Além de embasar as tomadas de decisão, o fluxo de caixa em condições adequadas é uma ferramenta importante para delimitar como ocorreram as negociações não só com fornecedores, mas também com clientes.

Então, agora que você já entendeu o que é o fluxo de caixa, aspectos relevantes sobre ele, algumas dicas de como usá-lo e impulsionar o seu negócio, além da sua importância no gerenciamento de empresas, utilize esse conhecimento ao seu favor!

Caso ainda haja alguma dúvida, sinta-se a vontade para deixar um comentário ou fale conosco!



Deixe um comentário!