Employee Experience: como encantar os seus colaboradores

Employee Experience: como encantar os seus colaboradores

Provavelmente você já ouviu falar sobre Customer Experience (Experiência do Consumidor), não é? O CX, como é conhecido, se trata da soma de todos os pontos de contato que geram experiências entre o cliente e organização e, atualmente, é utilizado como estratégia pela maioria das grandes empresas.

Por ter gerado resultados extremamente eficazes e ser considerado por 73% dos líderes de negócio como algo fundamental para fornecer uma experiência do cliente relevante e confiável, segundo a Forbes, o CX deu origem a outras linhas de pensamento, que pensam na experiência dos stakeholders como o centro do desenvolvimento de uma organização.

Ficou curioso? Quer entender mais sobre o assunto? Então esse é o conteúdo certo para você! Hoje nós vamos falar sobre uma das linhas que vem sendo utilizada como uma estratégia por diversas empresas: a Employee Experience!

 

O que é o Employee Experience?

O Employee Experience, similar ao Customer Experience, foca na experiência fornecida pela organização, porém, ao invés de se concentrar seu cliente externo, ela foca no cliente interno da empresa: o colaborador.

Talvez você esteja se perguntando que vantagens a adoção dessa prática pode trazer para as empresas, já que, de acordo com o senso comum, quem gera resultado direto para a empresa é o seu cliente final.

A resposta não é simples, porém, é extremamente rica e pode gerar resultados nunca antes alcançados por uma organização.

Primeiramente, podemos definir a Employee Experience como a transição da mentalidade do colaborador entre precisar se destacar dentro do seu ambiente de trabalho para querer se destacar, ou seja, despertar no colaborador o desejo de dar o melhor de si, o que permite que o mesmo alcance grandes resultados para a empresa.

 

Como implementar na minha empresa?

Para que isso se torne possível na prática, é necessário que haja uma mudança de paradigma do Setor de Recursos Humanos na empresa, de forma que o mesmo se volte para os resultados da organização. Ou seja, o papel do RH deve passar a ser muito mais estratégico, já que, para alcançar uma boa Employee Experience precisará atuar em cima de dados que forneçam insumos sobre as necessidades dos clientes do setor, os próprios funcionários da organização e, assim, criar estratégias em cima deles para atuar na experiência dos colaboradores.

Segundo Jacob Morgan, especialista no assunto, a principal forma de atingir uma boa Employee Experience é atuar em cima dos três ambientes que afetam o dia a dia do colaborador na organização: o ambiente físico, o ambiente cultural e o ambiente tecnológico.

 

 

 

  • Ambiente Físico: o Ambiente Físico é o espaço de trabalho que podemos ver, tocar, provar, cheirar. É qualquer tipo de regalia física que se possa obter, tal como ambientes colaborativos, sem mesas fixas e sem paredes que incitem e permitam a criatividade.
  • Ambiente Cultural: se o ambiente físico é aquele que nos permite ver, tocar, respirar, o ambiente cultural é aquele que nos faz sentir. É aquilo que nos energiza ou nos drena, nos motiva ou desencoraja. Pode ser desde o estilo de liderança até a estrutura organizacional que compõe a organização.
  • Ambiente Tecnológico: se refere ao às ferramentas que os funcionários utilizam para a realização do trabalho. Desde redes sociais internas, até softwares de vendas. O uso de tecnologias mal projetadas e que dificultem o trabalho do funcionário tem impacto direto na sua experiência, já que cria um ambiente frustrado e improdutivo.

É importante destacar que nada disso será proveitoso caso essas estratégias não condizam com o que o colaborador da organização necessite, por isso, o primeiro passo para a estruturação de uma boa Employee Experience é a realização de uma boa Pesquisa de Clima Organizacional (PCO), que permita aos gerentes de RH entender como trazer a experiência proporcionada externamente pela empresa para dentro da mesma.

 

Case de Sucesso

Um dos exemplos mais famosos dos resultados que a Employee Experience pode trazer para uma organização é o da Airbnb, empresa que opera online no mercado de serviços de hospitalidade e que foi pioneira na criação do cargo de Global Head of Employee Experience, dedicado exclusivamente a “criar experiências memoráveis para os colaboradores no ambiente de trabalho.”

Os resultados não demoraram a aparecer e, em 2016 a empresa foi classificada como o #1 Best Place to Work (Melhor Lugar para se Trabalhar) de acordo com o Glassdoor.com, fez seu primeiro lucro no segundo semestre do mesmo ano e, atualmente, possui um Net Worth de US$ 3.8 bilhões (Janeiro, 2019).

 

Conclusão

Através do investimento em reconhecer as necessidades dos colaboradores, percebemos que investir em reconhecimento, autonomia e melhores ferramentas resultará em um impacto positivo para os stakeholders internos e externos da empresa, visto que funcionários altamente motivados são um dos principais fatores para que a organização alcance um crescimento sustentável.

Além disso, uma boa prática de Employee Experience tem ligação direta com o oferecimento de uma liderança inspiradora, uma cultura de objetivos claros e de um ambiente organizacional que promova crescimento. Essas questões geram, além de um bom clima organizacional, a atração de profissionais de alta performance e a retenção de talentos.

Agora que você já sabe o que é Employee Experience e as vantagens que ela pode trazer para a sua empresa, que tal aplicá-la ao seu negócio?

 

 



Deixe um comentário!