Definição e acompanhamento de metas e resultados organizacionais

Onde você pretende estar com sua empresa daqui 3 anos? O que você está fazendo hoje para chegar nesse objetivo? Você está se baseando em dados ou no achismo?

 

Hoje em dia as melhores empresas estão cada vez mais investindo em Business Intelligence e Business Analytics, (US$ 187 bilhões em 2019 segundo o IDC) que consiste na análise de dados internos para basear as tomadas de decisão.

Está cada vez mais claro para o mercado que uma decisão tomada a partir de achismos, a chance dela ser uma decisão errada é bem maior. 

O planejamento estratégico é uma ferramenta que é usada para definir o acompanhamento das metas e dos resultados nas empresas. Sua empresa já tem um?

Como mensurar

Definir o acompanhamento de indicadores e metas da sua empresa não é algo simples, por isso muitas das vezes as empresas contratam outras empresas de consultoria que fazem essa estruturação. Mas vou falar para você aqui algumas dicas que podem te ajudar a estabelecer uma cultura de metas e análise de dados dentro de sua empresa!

Antes de começar a falar sobre como fazer de fato o acompanhamento, é preciso falar que existem algumas metodologias para isso. Aqui neste texto vou falar sobre duas delas mas existem uma infinidade de métodos que você pode usar dentro de sua empresa!

OKR

O objectives and key results ou OKR é uma forma de planejar os indicadores de sua empresa através de objetivos e resultados-chave como diz o nome.

Imagine que você tem o objetivo de vender mais na sua empresa. O que a metodologia OKR indica é que você monitore não só o número de vendas, mas também os resultados-chave que você precisa ter para aumentar esse número. Ou seja, quantas leads você precisa prospectar para conseguir aumentar suas vendas, por exemplo.

Voltando ao OKR, ela é uma metodologia bastante usada no vale do silício que ficou famosa por ter suportado a Google que passou de 40 funcionários para mais de 60 mil nos dias de hoje.

● O (objective):

Os objetivos são de caráter qualitativo e representam uma meta final

● KRs (Key Results):

Os resultados chave têm caráter mais quantitativo e podem ser de 2 a 5 para cada Objetivo. São metas que vão impactar diretamente o Objetivo. Algumas características do OKR: 

● Períodos mais curtos:

Os OKRs tem como natureza serem sempre definidos para períodos mais curtos, deixando a gestão da empresa mais ágil. 

● Simplicidade:

As metas a serem postas nos OKRs devem ser simples, focando sempre na eficiência. 

● Acompanhamento semanal:

Os acompanhamentos devem ser feitos semanalmente para que haja sempre uma resolução de possíveis desafios que alguém possa estar passando para bater sua meta  

● Transparência:

A transparência ajuda sempre na resolução dos problemas, não se deve ter medo de compartilhar seus resultados.  

● Resultados, não esforço:

As metas dos OKRs devem sempre serem focadas nos resultados que elas vão trazer para a organização, assim, o esforço para a realização das tarefas vai ser naturalmente reduzido.    

GPD

O Gerenciamento Pelas Diretrizes ou GPD, é uma metodologia de planejamento desenvolvida no Japão mas foi disseminada no Brasil por Vicente Falconi, um dos consultores mais famosos do país. Ela é muito baseada no PDCA que dá naturalmente um foco muito grande na qualidade. 

Seguindo uma linha parecida com a dos ORKs, o GPD também pega uma meta maior e a desdobra em metas menores. 

     Alinhamento:

como toda a empresa vai estar fazendo parte das metas, com suas metas menores, isso naturalmente acaba disseminando facilmente, aumentando o alinhamento do time. 

     Resultados:

A especificidade das metas facilitam a compreensão e cobrança das metas, com isso, o atingimento das metas fica mais fácil também. 

     Objetividade e eficiência:

a definição de tudo também facilita as operações, diminuindo o desperdício de tempo e retrabalho nos processos. 

O GPD tem dois tipos de sistemas, o primeiro é o gerenciamento interfuncional, que vislumbra, prioritariamente, o futuro da empresa. Ele está diretamente ligado à alta administração, ao desdobramento das diretrizes e sua divisão entre os departamentos. 

O segundo é o gerenciamento funcional, que está voltado para a melhoria contínua e a manutenção das rotinas da organização. Ele é diretamente ligado à administração e ao controle da qualidade das atividades diárias e rotineiras da empresa. 

Gestão à vista 

O que muitas empresas fazem para facilitar a disseminação das metas e dos objetivos da empresa é usar a gestão à vista, e é bem simples de implementar isso em sua empresa! Basta ter um quadro, alguns post-its e criatividade! 

A ideia é que os indicadores e as metas de cada setor ou de cada funcionário fiquem espalhados nos ambientes de trabalho e uma forma visual para que todos tenham sempre fácil acesso sobre o que está acontecendo na empresa!  

Qual usar?

Existem várias ferramentas de gestão, incluindo o Balanced Score Card, Must Win Battles, etc. Mas o que se deve ter em mente é que não existe um modelo perfeito, vai depender de como sua empresa opera, do seu modelo de gestão qual metodologia seguir. Em muitos casos é natural até uma mistura de métodos para realmente se encaixar com o que a empresa precisa. Você pode ver mais ferramentas de gestão empresarial aqui.

O mais importante é implementar em sua empresa a cultura de análise de dados, sem números não se sabe ao certo para onde a organização está caminhando e consequentemente prejudica a tomada de decisão por parte dos gestores.

E agora? Qual o próximo passo? Por onde começo? Você pode começar definindo alguns indicadores de desempenho, e aos poucos implementando essa cultura dentro de sua empresa! Não é necessário que todos da empresa saibam todos os indicadores decorados, mas é interessante que cada um tenha consciência de que o que eles estão fazendo, ou seja, suas tarefas do dia-a-dia vão levar a organização para frente!

 

Quer conversar um pouco melhor sobre como implementar essa gestão dentro da sua empresa? Clica aqui para agendar uma reunião conosco! 



Deixe um comentário!