Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
como melhorar a gestão financeira da empresa

Você sabe como Melhorar a Gestão Financeira da sua Empresa?

A área financeira é uma das mais importantes em uma gestão empresarial, mas ainda é uma das que mais sofre com erros. Em pesquisa do Sebrae sobre o fechamento de empresas nos primeiros cinco anos, foi constatado que 55% delas não haviam elaborado um plano de negócios, 50% não haviam determinado o valor do lucro pretendido e 39% não sabiam o capital de giro necessário.

Percebemos que os erros na gestão financeira podem ser graves e causar até mesmo o fim de uma empresa. Por isso, essa postagem traz algumas dicas importantes para melhorar essa gestão e evitar complicações, além de reduzir custos desnecessários.

Saber precificar o seu produto ou serviço

Por mais simples que pareça, esse ainda é um erro muito comum. É importante levar diversos fatores em consideração no momento de precificar, como os custos de material, mão-de-obra, marketing, horas trabalhadas e a porcentagem de lucro. Muitas empresas pecam nesse quesito e acabam tendo prejuízo. Também é importante citar os descontos, que nem sempre são uma boa estratégia, se não forem bem pensados. Apesar de facilitar a venda, é necessário vender mais e investir mais tempo para ter o lucro desejado.

Mapear os processos financeiros

Um bom mapeamento de processos é essencial, mas não é o suficiente. É preciso definir os indicadores para mensurar os resultados e, é claro, realizar mudanças com base no que for percebido em análises periódicas. Se o custo por aquisição de cliente está muito alto, por exemplo, é necessário fazer um estudo dos motivos e pensar em novas estratégias para reduzir esse custo. Outro exemplo é se for encontrado algum gasto desnecessário e que poderia ser substituído por algum outro recurso mais viável. Para realizar esses processos e mudanças, a organização das equipes faz toda a diferença!

Ter um planejamento financeiro

Nada deve ser feito antes de um planejamento completo. Dessa forma, é possível ter um melhor controle de gastos, se preparar para imprevistos, ter uma definição exata de recursos, objetivos bem definidos e até mesmo a quantidade necessária de trabalho para atingir esses objetivos e o lucro necessário.

A gestão tributária também é um fator fundamental para esse planejamento, para que não haja qualquer inconsistência junto aos órgãos públicos e, é claro, para evitar as multas, que são um dinheiro perdido que poderia ter sido investido na empresa de forma muito mais eficiente. Para isso, os responsáveis precisam estar cientes de todos os impostos que recaem sobre seus produtos, serviços e sobre o regime tributário adotado por ela.

Ter um capital de giro bem definido

Outro fator essencial para qualquer empresa, mas que segue sendo negligenciado em muitas delas. O capital de giro é o que permite bancar o funcionamento da empresa de forma saudável, pensando em transações feitas a prazo, como compras pagas no cartão de crédito por clientes, pagamento de despesas operacionais e fornecedores, manutenção de estoques e outras necessidades.

Por isso, uma empresa não consegue ter muito tempo de vida sem planejar esse custo e acaba se perdendo em dívidas e atrasos.

Separar as despesas pessoais e do negócio

Esse é outro erro muito comum entre empreendedores. É necessário fazer essa separação de forma honesta, para que não haja problemas no futuro. Finanças pessoais e empresariais não podem se confundir! O mesmo vale para os lucros. Aliás, fica para a próxima dica…

Reinvestir parte dos lucros

Não adianta enxergar todos os lucros da empresa apenas como dinheiro entrando em caixa. É essencial que parte desse lucro seja reinvestida na própria empresa, seja em novos equipamentos, em capacitação profissional ou em outras necessidades. Na era em que vivemos, a inovação e a busca por conhecimento deve ser constantes, ou a empresa vai ficar para trás e pode acabar indo a falência. Por sinal, a falta de atualização também foi um problema identificado na pesquisa do Sebrae citada no início desse texto. Você não vai correr esse risco, não é?

Utilizar ferramentas financeiras

Para facilitar todos esses pontos citados, existem diversas ferramentas tecnológicas que podem ajudar na gestão financeira e que são ótimos investimentos para a empresa. Essa dica também pode ser unida a anterior, pois os funcionários precisam estar capacitados para utilizar essas ferramentas de forma que o tempo de trabalho possa ser reduzido e que a gestão possa ser mais exata.

Esperamos ter ajudado e desejamos que sua empresa tenha uma excelente saúde financeira e que, dessa forma, possa impulsionar seus resultados. 

A área financeira é uma das mais importantes em uma gestão empresarial, mas ainda é uma das que mais sofre com erros. Em pesquisa do Sebrae sobre o fechamento de empresas nos primeiros cinco anos, foi constatado que 55% delas não haviam elaborado um plano de negócios, 50% não haviam determinado o valor do lucro pretendido e 39% não sabiam o capital de giro necessário.

Percebemos que os erros na gestão financeira podem ser graves e causar até mesmo o fim de uma empresa. Por isso, essa postagem traz algumas dicas importantes para melhorar essa gestão e evitar complicações, além de reduzir custos desnecessários.

Saber precificar o seu produto ou serviço

Por mais simples que pareça, esse ainda é um erro muito comum. É importante levar diversos fatores em consideração no momento de precificar, como os custos de material, mão-de-obra, marketing, horas trabalhadas e a porcentagem de lucro. Muitas empresas pecam nesse quesito e acabam tendo prejuízo. Também é importante citar os descontos, que nem sempre são uma boa estratégia, se não forem bem pensados. Apesar de facilitar a venda, é necessário vender mais e investir mais tempo para ter o lucro desejado.

Mapear os processos financeiros

Um bom mapeamento de processos é essencial, mas não é o suficiente. É preciso definir os indicadores para mensurar os resultados e, é claro, realizar mudanças com base no que for percebido em análises periódicas. Se o custo por aquisição de cliente está muito alto, por exemplo, é necessário fazer um estudo dos motivos e pensar em novas estratégias para reduzir esse custo. Outro exemplo é se for encontrado algum gasto desnecessário e que poderia ser substituído por algum outro recurso mais viável. Para realizar esses processos e mudanças, a organização das equipes faz toda a diferença!

Ter um planejamento financeiro

Nada deve ser feito antes de um planejamento completo. Dessa forma, é possível ter um melhor controle de gastos, se preparar para imprevistos, ter uma definição exata de recursos, objetivos bem definidos e até mesmo a quantidade necessária de trabalho para atingir esses objetivos e o lucro necessário.

A gestão tributária também é um fator fundamental para esse planejamento, para que não haja qualquer inconsistência junto aos órgãos públicos e, é claro, para evitar as multas, que são um dinheiro perdido que poderia ter sido investido na empresa de forma muito mais eficiente. Para isso, os responsáveis precisam estar cientes de todos os impostos que recaem sobre seus produtos, serviços e sobre o regime tributário adotado por ela.

Ter um capital de giro bem definido

Outro fator essencial para qualquer empresa, mas que segue sendo negligenciado em muitas delas. O capital de giro é o que permite bancar o funcionamento da empresa de forma saudável, pensando em transações feitas a prazo, como compras pagas no cartão de crédito por clientes, pagamento de despesas operacionais e fornecedores, manutenção de estoques e outras necessidades.

Por isso, uma empresa não consegue ter muito tempo de vida sem planejar esse custo e acaba se perdendo em dívidas e atrasos.

Separar as despesas pessoais e do negócio

Esse é outro erro muito comum entre empreendedores. É necessário fazer essa separação de forma honesta, para que não haja problemas no futuro. Finanças pessoais e empresariais não podem se confundir! O mesmo vale para os lucros. Aliás, fica para a próxima dica…

Reinvestir parte dos lucros

Não adianta enxergar todos os lucros da empresa apenas como dinheiro entrando em caixa. É essencial que parte desse lucro seja reinvestida na própria empresa, seja em novos equipamentos, em capacitação profissional ou em outras necessidades. Na era em que vivemos, a inovação e a busca por conhecimento deve ser constantes, ou a empresa vai ficar para trás e pode acabar indo a falência. Por sinal, a falta de atualização também foi um problema identificado na pesquisa do Sebrae citada no início desse texto. Você não vai correr esse risco, não é?

Utilizar ferramentas financeiras

Para facilitar todos esses pontos citados, existem diversas ferramentas tecnológicas que podem ajudar na gestão financeira e que são ótimos investimentos para a empresa. Essa dica também pode ser unida a anterior, pois os funcionários precisam estar capacitados para utilizar essas ferramentas de forma que o tempo de trabalho possa ser reduzido e que a gestão possa ser mais exata.

Esperamos ter ajudado e desejamos que sua empresa tenha uma excelente saúde financeira e que, dessa forma, possa impulsionar seus resultados. 

Assinatura blog

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Se inscreva na nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores e mais atualizados conteúdos sobre gestão e leve sua empresa para um novo patamar. É simples, digite seu nome e e-mail abaixo: