Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
análise financeira do negócio

Aprenda a fazer uma Análise Financeira na sua empresa

Fazer a análise financeira de uma empresa é um dos maiores desafios que os empreendedores enfrentam.

Apesar disso, se faz muito necessária, pois toda e qualquer ação realizada dentro da empresa, independente da área (operacional, técnica, administrativa ou estratégica) refletirá no desempenho financeiro do negócio.

Além disso, dados do SEBRAE sobre a causa de falência das empresas, mostram que o principal motivo para sua falência é a falta de capital.

Considerando a importância do assunto, hoje, neste post, vamos mostrar o passo a passo para fazer uma boa análise financeira da sua empresa e como tornar, esta, uma ação estratégica constante.

O que é a Análise financeira?

De forma geral, análise financeira é um conjunto de processos que permitem avaliar a saúde fiscal do negócio e a movimentação de receitas e despesas, focando em garantir a estabilidade, equilíbrio, capacidade de gerar lucro e acompanhar seu crescimento.

Por isso, a ausência dessa análise pode prejudicar a saúde fiscal e até a própria existência da organização, uma vez que o gestor não saberá a situação financeira do negócio. 

Passo a passo para fazer a análise financeira em sua empresa

1. Organize suas contas

Antes de a análise ser feita, é necessário que as contas da empresa estejam devidamente organizadas, ou seja, que os lançamentos de receitas e despesas sejam dados confiáveis, para garantir a veracidade da informação que será gerada pelos indicadores para o gestor. 

Portanto, faça uma pequena auditoria nas contas da empresa, e verifique se elas estão de acordo com a realidade, para assim, iniciar a análise.

2. Analise o equilíbrio econômico do negócio

Dentro da análise de equilíbrio econômico do negócio encontramos as variáveis que interferem na sua viabilidade, como a capacidade de se estabilizar e gerar lucro. 

Além dela, temos alguns indicadores que fazem parte dessa análise, como:

Faturamento periódico

Permite que o gestor conheça e acompanhe as vendas de forma mais detalhada, dia a dia, com informações sobre o quê, quanto, e quando ocorreram as entradas.

Custos fixos

Aqui serão destrinchados os custos que são essenciais para a existência do negócio, e devem ter um acompanhamento constante bem como sempre pensar em ações para poder enxugá-los.

Custos variáveis

Aqui estarão detalhados os custos que são diretamente proporcionais ao volume de vendas do produto/serviço final.

Uma estratégia muito assertiva é transformar ao máximo custos fixos e variáveis, de modo a manter um custo operacional proporcional à produção da empresa.

Margem de contribuição

É um indicador capaz de indicar se o preço de venda dos produtos pode pagar os custos fixos e gerar lucro.

A partir dele são realizadas análises de viabilidade, ponto de equilíbrio, lucratividade, etc.

Quanto maior for esse índice, melhor está a saúde financeira da empresa.

Lucro operacional

Trata-se do resultado, após a dedução dos custos fixos e variáveis dentro de um período.

Preço de venda

Além de ter a preocupação com a capacidade do produto de “se pagar” outros fatores devem ser considerados no momento da precificação.

O valor pago pelos clientes é que fomenta o capital de giro e a rentabilidade do negócio.

Preço de venda

Para que haja equilíbrio financeiro e saldos constantemente positivos, é fundamental ter um bom controle de fluxo de caixa, que  possua projeções estratégicas das entradas e saídas, visando a sustentabilidade e equilíbrio econômicos.

3. Examine o demonstrativo de resultados do exercício (DRE)

Por meio da DRE é possível analisar os principais pontos do negócio, e avaliar uma grande quantidade de informações que estarão compiladas em um só lugar, como:

  • impostos;
  • despesas operacionais e financeiras;
  • receitas;
  • entre outras.

Além disso, permite a comparação com os resultados de outros períodos, possibilitando uma análise de médio e até longo prazo, que pode ser extremamente útil para uma boa tomada de decisão.

Para a elaboração desse demonstrativo, é mais indicado que seja estruturado seguindo uma sequência e lógica para facilitar o entendimento do analista.

super planilha de fluxo de caixaPowered by Rock Convert

4. Analise os indicadores financeiros

É fundamental analisar indicadores econômicos do negócio, pois eles permitem o estudo de parâmetros mais detalhados da saúde financeira da empresa, bem como avaliar os resultados do período atual em relação a anteriores. 

Dentre as principais métricas a serem analisadas, estão:

Indicadores de liquidez

De maneira geral, avaliam a capacidade de pagamento da empresa diante das suas obrigações.

Eles são divididos em 4 tipos de liquidez que se diferenciam pelo tempo que se refere:

  • Corrente: Analisa a capacidade de pagamento das obrigações de curto prazo.
  • Seca: Avalia a mesma capacidade da liquidez corrente, porém excluindo os ativos “em estoque”.
  • Imediata: Avalia a capacidade da empresa de lidar com emergências financeiras.
  • Geral: Avalia a capacidade da empresa de cumprir com as obrigações a longo prazo.

Indicadores de estrutura do Capital 

Analisa quanto que o capital geral da empresa está comprometido com as obrigações, bem como quanto de capital de terceiros está investido para manter o negócio. 

Deve-se dar atenção ao comprometimento do patrimônio empresarial, pois tendo este indicador muito elevado pode prejudicar investimentos utilizados para crescimento do negócio

Indicadores de endividamento

Avalia qual o volume de obrigações da empresa (dívidas com fornecedores, bancos, terceiros) dentro do capital próprio da empresa. 

A análise desses indicadores permite que o gestor acompanhe se a empresa continuará estável ou se enfrentará períodos turbulentos dentro das finanças.

Indicadores de Atividade 

Tem a finalidade de medir a velocidade que as contas se tornam vendas. E dentre os principais indicadores dentro desta categoria temos: 

  • giro de caixa;
  • prazo médio de pagamento;
  • giro de estoque

Um baixo giro de caixa implica dizer que o dinheiro recebido dos consumidores finais, demoram a financiar as atividades ou da empresa. 

Assim os prazos são longos, e uma abrupta queda nas vendas não afetará rapidamente a operação da empresa.

Conclusão

Ficar por dentro da vida financeira da empresa deve ser uma das principais missões do empreendedor.

Pois, essas informações são cruciais no momento da tomada de decisões da empresa.

Porém, agora você já sabe como fazer uma análise financeira da sua empresa e o quanto cada um desses elementos apresentados são importantes para manter a saúde financeira do negócio.

Esperamos que esse conteúdo te ajude a manter seu negócio nos trilhos.

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Se inscreva na nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores e mais atualizados conteúdos sobre gestão e leve sua empresa para um novo patamar. É simples, digite seu nome e e-mail abaixo: