Categorias
Gestão Financeira

Consultoria financeira: como funciona e para quê serve

Para manter um negócio que cresça de maneira estruturada e lucrativa, o empresário deve ter conhecimento de que, as melhores práticas de gestão são necessárias, principalmente considerando um cenário mercadológico cada vez mais competitivo.

O planejamento financeiro é um dos pilares mais importantes para qualquer negócio que busque esse alto desempenho.

E a consultoria financeira é uma alternativa inteligente de gerenciamento dos recursos financeiros, habilidade que poucos dominam.

Ao contratar esse serviço consultivo, o empreendedor poderá direcionar seus esforços para as atividades-fim da empresa e gerenciá-las com maior tranquilidade.

Esse serviço pode ser determinante para garantir uma boa saúde financeira da sua empresa.

Quer saber mais sobre como ele funciona? Qual a importância dele para o seu negócio? É o que vamos falar no decorrer deste post!

O que é consultoria financeira e, porque é importante?

De forma prática, o serviço de consultoria financeira tem como principal finalidade diagnosticar problemas, propor possíveis soluções para este, e construir um plano de implementação que irá impulsionar os resultados dos clientes.

A importância de uma consultoria financeira profissional está na mudança da forma de gerenciar as finanças das empresas.

Pois, fará com que os recursos sejam otimizados, melhores investimentos sejam feitos, e a lucratividade do negócio seja aumentada.

Além disso, a empresa terá a oportunidade de trabalhar com dados e indicadores que permitam analisar e entender se a empresa está indo na direção certa com relação a seus objetivos.

Sem um bom plano financeiro, o negócio não terá noção exata das suas entradas e saídas, e não estarão preparados para os diferentes cenários que podem surgir, principalmente os de crise.

Como funciona uma consultoria financeira?

A execução de um serviço de consultoria financeira, depende de uma série de variáveis, geralmente atreladas ao nível de maturidade e organização da empresa com relação as suas finanças, mas geralmente elas seguem as seguintes etapas:

1. Execução do diagnóstico Econômico-Financeiro

Essa é a fase em que é feito o diagnóstico e análise da situação financeira da empresa com o objetivo principal de mostrar ao gestor dados sobre o passado da empresa, demonstrando o fluxo de caixa, e quais os principais gargalos de todos os processos.

Aqui são analisados todos os centros de custos, as relações com os setores da empresa, a precificação dos produtos/serviços, e todos os outros dados que sejam relevantes para basear a estruturação de um plano de melhoria posteriormente.

2. Construção do projeto de consultoria financeira

Utilizando os insumos da análise, nesta etapa será construído um plano com uma série de soluções que façam sentido para a realidade da empresa.

Os consultores podem atuar de diferentes formas dentro de um serviço de consultoria financeira, e baseadas nessas áreas de atuação é que o plano será construído. As principais áreas são:

  • Análise de Viabilidade Econômico-Financeira: É uma análise feita para analisar a viabilidade de investimentos futuros, ou, se a empresa estiver construindo seu modelo de negócio, identificar será viável ou não. Aqui são elaborados fluxos de caixa projetados, indicadores como payback, valor presente líquido, taxa interna de retorno (TIR), dentre outros que otimizarão a análise.
  • Valuation: Tem como objetivo combinar técnicas e metodologias para avaliar o real valor da empresa, analisando sua capacidade de gerar caixa, e prepará-la para uma possível venda.
  • Controle Financeiro: Nesta área poderão ser estruturadas as melhores práticas e ferramentas que propiciem um melhor controle e gestão das finanças diariamente, além de analisar como os custos do negócio se comportam, e assim, identificar as ineficiências nos processos para corrigi-las.
  • Precificação: Aqui será analisado o preço dos produtos/serviços, de modo a verificar se este cobre os custos operacionais, e ainda ser lucrativo. Feita a análise, será estruturado o modelo de precificação que melhor atenda as necessidades da empresa.
  • Auditoria Financeira: Tem como principal objetivo auditar sistemas e relatórios financeiros, de modo a verificar a fidedignidade dos dados das transições e operações.
  • Planejamento financeiro: busca alinhar as finanças com os objetivos estratégicos da empresa, de modo a deixar explícito como os recursos serão aplicados ao longo do plano.

3. Estruturação do plano de implementação

Definidas as ações que serão realizadas, os consultores elaborarão um plano de implementação, com as etapas correspondentes ao projeto.

Esta etapa é importante para que haja um alinhamento de expectativas e informações do cliente com o grupo de trabalho da consultoria, e também para que ambos tenham ciência das suas responsabilidades.

Todas as atividades deverão ter prazos e entregáveis bem definidos, e deverá ter uma sequência lógica, para que os retrabalhos sejam eliminados.

Quais as principais vantagens em adquirir uma consultoria financeira?

Neste post, conseguimos citar a importância da aquisição desse serviço, mas além de ser importante, o gestor contará com os seguintes benefícios:

  • Diminuição das taxas de erros nos processos: Erros no setor financeiro podem gerar custos desnecessários para o seu negócio, e com um serviço de consultoria, eles serão praticamente eliminados, pois, essas ineficiências nos processos serão facilmente identificadas na etapa de diagnóstico.
  • Aumento de produtividade: A consultoria financeira, com a otimização dos processos aumentará a produtividade do setor que lida com as finanças do negócio. Seja refazendo ou automatizando atividades, que visam melhorar a forma que a equipe desenvolve o trabalho.
  • Melhor análise do setor financeiro: Durante o serviço de consultoria, a empresa contará com consultores especializados que entendem do assunto. E essa condição fará com que eles façam análises críticas, com uma maior visão sistêmica, identificando gargalos que colaboradores internos possivelmente não enxergariam.

Conclusão

A área financeira da empresa é extremamente estratégica e delicada, portanto, necessita de bastante atenção.

Muitos gestores dão uma maior prioridade a atividade-fim da empresa, e acabam não tendo tempo para se dedicar as finanças.

Por isso o serviço de consultoria financeira se faz tão necessário.

Ela pode muda a forma como você administra os recursos financeiros, desde os processos executados diariamente, até as atividades mais estratégicas, além de proporcionar um melhor processo de tomada de decisão.

Que tal conhecer mais sobre esse serviço, na prática? Então entre em contato conosco! Temos uma equipe apaixonada que está pronta para atender todas as necessidades do seu negócio.

Categorias
Gestão Financeira

Como fazer um relatório financeiro completo para sua empresa

É fato que um bom plano de negócio envolve uma gestão financeira bem executada.

E em meio a uma rotina empresarial carregada o tempo todo de informações e dados importantes, o relatório financeiro torna-se um instrumento fundamental para o gestor.

Pois, o acompanhamento constante desse relatório, proporciona uma visão global da empresa e demonstra se ela está no caminho certo para atingir os objetivos e metas determinados pelo negócio.

Por essa relevância, neste post, vamos te mostrar como fazer um relatório financeiro completo, que entregue todas as informações necessárias para uma melhor tomada de decisão.

Achou interessante? Então continua lendo para aprender mais.

Primeiro, o que é um relatório financeiro?

De forma simples, os relatórios financeiros são um compilado de números de uma empresa.

Seu principal objetivo é fornecer informações precisas e claras sobre a saúde financeira do negócio.

Em caso de apresentação dessas informações a órgãos de fiscalização, elas devem ser fidedignas.

Pois, uma falsa demonstração desses resultados pode ser considerado crime.

Qual a importância de um relatório financeiro?

No momento de tomar decisões importantes para o negócio, e no próprio processo rotineiro de gerenciamento, é importante ter informações financeiras claras, precisas e acessíveis. 

Considerando que, todas as operações de uma empresa estão diretamente relacionadas às finanças, exigindo, portanto, um bom controle do setor financeiro.

É preciso saber o momento ideal de investir, de impulsionar vendas e de cortar gastos.

Além de saber quais as medidas deverão ser tomadas para que o negócio atinja seus objetivos e manter o lucro.

E para isso, os relatórios financeiros são imprescindíveis.

Entendi que ele é fundamental. Mas o deve ter dentro de um para fazer ele ser tão especial?

Principais elementos para um bom relatório financeiro

Demonstração de Resultado do Exercício (DRE)

No DRE estarão detalhados os resultados líquidos, após todas as deduções e sinaliza possíveis lucros e prejuízos da empresa em um determinado período.

modelo de dre

Balanço Patrimonial (BP)

Já neste estará exposto o patrimônio líquido da empresa, os itens que compões seu ativo e passivo.

Aprenda mais sobre balanço patrimonial:

Balanço patrimonial: entenda o que é e como usar na sua empresa

Despesas Operacionais

São todos os gastos necessários para que a empresa opere, aqui estarão envolvidas despesas como:

  • Aluguel;
  • luz;
  • telefone;
  • matéria-prima;
  • etc.

Resultados

Demonstração prática dos resultados que os planejamentos anteriores obtiveram.

Como, por exemplo, quais as principais fontes de receita, o quanto que foi necessário gastar para a produção daquele período, entre outros.

Como criar um relatório financeiro

1. Centralize as informações

Se todas as informações necessárias, estiverem espalhadas em planilhas e documentos diferentes, ficará muito difícil gerar um bom relatório.

Portanto, organização é fundamental nesse processo.

O primeiro passo é reunir todos os arquivos em um só lugar, e se possível, dividi-los em categorias (ex.: receitas e despesas).

super planilha de fluxo de caixaPowered by Rock Convert

Quando for necessário elaborar balanços patrimoniais ou demonstrativos de resultados, ficará mais fácil e rápido para o gestor, se esses dados estiverem organizados e centralizados, economizando tempo e esforço.

2. Padronize e atualize as informações

Tão importante quanto centralizar, é padronizar as informações, considerando que apenas um relatório não gera as informações necessárias para uma análise global.

É preciso comparar resultados, e ao padronizar a forma como as informações estão dispostas, o gestor conseguirá realizar um gerenciamento eficiente das receitas e despesas, além de outros dados.

Essa ação de padronizar, facilitará o processo de identificar oportunidades de melhorias das finanças da empresa.

Além disso, atualizar as informações é imprescindível para garantir a fidedignidade destas, minimizar os erros e promover um ambiente de maior transparência dentro da empresa

3. Invista na capacitação do time financeiro

Em um cenário onde os processos estão constantemente mudando e evoluindo, em níveis operacionais e tecnológicos, as empresas devem atentar-se a pensar em como acompanharão o ritmo dessas mudanças, e a capacitação frequente do time é uma dessas formas.

Sem os colaboradores, nenhuma área da empresa consegue operar, inclusive a financeira.

E o nível de preparo para lidar com dados tão sensíveis quanto números, fará toda diferença no processo de elaborar relatório confiáveis, consistentes e eficientes para o negócio.

Além disso, a empresa precisa ter ciência de quais habilidades, competências e atitudes são necessárias para que os colaboradores exerçam da melhor forma o seu trabalho.

De posse dessas informações, não só será possível contratar as pessoas certas, mas treiná-las dentro dos critérios necessários, e das melhores práticas encontradas no mercado.

4. Automatize as tarefas manuais

Devido à evolução tecnológica, hoje as empresas podem contar com soluções financeiras pagas e gratuitas, que auxiliam o gestor na geração dos relatórios financeiros, e até outras funcionalidades.

Os sistemas de gestão financeira possibilitam que os relatórios e as informações fiquem concentrados em um só lugar, e disponíveis para consulta a qualquer momento pelos colaboradores. 

Além de controlar fluxos financeiros, esses sistemas fornecem orçamentos e relatórios que, manualmente demorariam horas para serem feitos.

A principal finalidade de automatizar esses processos é garantir que as pessoas direcionem seus esforços para analisar, refletir sobre as informações trazidas e traçar estratégias, ações que a máquina ainda não pode fazer.

Outro benefício é a possibilidade de integrar os sistemas com informações de outras áreas da empresa, proporcionando análises mais aprofundadas, e uma visão sistêmica da operação.

Todavia, antes de uma aquisição ou construção de um sistema o gestor precisa avaliar bem as opções existentes no mercado, e procurar a que mais se adapta ao seu modelo de negócio.

5. Simplifique as apresentações dos relatórios financeiros

Para evitar que outras pessoas do negócio, que não são habituadas a trabalhar com números, tenham dificuldades para ler o relatório financeiro gerado, é importante a utilização de uma linguagem menos técnica, mas que seja clara.

Termos técnicos da contabilidade podem dificultar a compreensão e diminuir o interesse dos colaboradores pela área financeira da empresa, que é tão importante.

Portanto, os relatórios são uma forma de estabelecer uma comunicação eficiente e transparente.

E se eles não puderem ser lidos e compreendidos por todos, perderão sua funcionalidade.

Conclusão

O processo de elaboração dos relatórios financeiros não é complexo, todavia deve ser bem pensado e planejado para que não se torne uma má estratégia dentro da organização.

Esteja rodeado da equipe e dos recursos certos, que a probabilidade da sua empresa manter uma saúde financeira estável e equilibrada será maior!