Categorias
Novos negócios

Como Definir o Ponto Comercial Ideal

Definir a localização estratégica do sua Empresa é o primeiro passo para a estruturação de um novo negócio. Selecionar o Ponto Comercial significa definir o local mais adequado e favorável para o seu negócio, fundamentado em um estudo que embasa a decisão a partir de conhecimento de mercado, estratégia e viabilidade. A estratégia então é se estabelecer onde seus clientes se encontram, de forma a direcionar a visualização do seu produto às pessoas que os consomem.

Como escolher o Ponto Comercial ideal

Primeiramente, a escolha do Ponto comercial deve levar em consideração quatro grande referenciais, os chamados 4 P’s : Ponto, Preço, Produto e Propaganda.

Ponto : Onde você oferta seu produto. É nesta parte da segmentação em que se pensa em todos os melhores e mais efetivos possíveis canais de distribuição da sua marca. Ou seja, o local ideal para desenvolver seu comércio, seja esse em espaço físico ou E-commerce.

Preço : Por quanto você oferta seu produto. Mas por assim dizer, qual o valor agregado ao seu produto? Qual a média de preço do seu produto no mercado? Qual o nível de aceitação do seu público, referente ao preço do seu produto? Perguntas como essas devem embasar seu estudo sobre a viabilidade financeira da sua empresa; como engatar o seu negócio de forma lucrativa e prevenir prejuízos.

Produto : O que você oferta. Esse ponto engloba todas as exigências e demandas do seu produto que suprem as expectativas do consumidor. É importante então, o estudo dos parâmetros de qualidade do mercado em que pretende ser inserido, a fim de obter retorno e reconhecimento.

Propaganda : Como irá promover sua marca. Como destacar sua marca? Como chamar a atenção do consumidor? É baseado nas estratégias de divulgação, com o propósito de fazer com que a empresa saia do anonimato e se torne conhecida.

O equilíbrio entre esses 4 pilares concebe um negócio lucrativo e sustentável. Um ponto de venda estratégico representa não só a localização física do comércio mas o conjunto de diversas variáveis que implicam no sucesso do local, como tráfego de pedestres, número de concorrentes nas redondezas e condições de estacionamento.

A escolha do Ponto Comercial começa com o estudo da região dos possíveis locais, isso é, análise do mercado e da área em que se pensa estabelecer o comércio. Deve ser levado em consideração, o perfil do consumidor que você deseja conquistar e a concorrência das proximidades. É muito importante primeiramente levar esses pontos em consideração:

  • A loja é de fácil acesso?
  • Olhe o mapa da cidade e detecte os locais com maior necessidade e abertura para seu comércio (Nem sempre as áreas mais nobres serão as mais opções mais adequadas ao seu negócio).
  • O local favorece a compra por impulso? ( se atente também de que lado da calçada as pessoas andam: o consumidor precisa passar na frente do local para se interessar)
  • O fluxo diário de pedestres é favorável?
  • A área tem outros comércios/concorrentes?
  • Estacionamento será um empecilho para que o cliente pare na sua loja?

É necessário também se atentar a esses pontos:

Lojas em frente a ponto de ônibus.
Lojas em últimos andares de prédio.
Lojas em locais perigosos e de pouca fiscalização.

Após a breve análise do mercado, a definição do Ponto Comercial Ideal dá-se por:

Estudo do público

Para uma melhor estratégia de captação de cliente, é necessário saber para quem você está vendendo. Quem são seus consumidores? Quais são seus gatilhos de compra? Como os conquistar?

A Pesquisa de Mercado entra diretamente nessa demanda de compreensão e percepção do consumidor. É realizada com o intuito principal, de prover informações sobre um grupo específico e garante assim, a representação do cliente real, já que fornece informações qualitativas (estilo de vida, hábitos, características…) e quantitativas (potencial de mercado, participação da empresa…).

Uma das vertentes da Pesquisa de Mercado é o Focus Group, que é um modelo de pesquisa presencial, categorizada como qualitativa, em que pessoas previamente selecionadas são reunidas para discutir sobre um assunto em questão e prover assim, insumos para um estudo mais incisivo de tendências e comportamentos.

Conheça a concorrência

Consiste na coleta de dados dos concorrentes, para a elaboração de planos de ação que façam sua empresa se destacar das demais. Parte do princípio da diferenciação de mercado, que viabiliza a vantagem competitiva e permite, por comparação, a constante análise e otimização do seu próprio negócio. O processo de Análise de Concorrência se dá em 3 principais passos :

Identificação dos concorrentes

Defina quais são as empresas similares ao seu negócio e que competem direta ou indiretamente com seu negócio. Considere os concorrentes diretos aqueles que têm mesma faixa de preço, oferecem o mesmo produto e têm demanda e público-alvo similares.

Já os indiretos, seriam aqueles que não necessariamente oferecem o mesmo produto mas que pertencem ao mesmo nicho de mercado, podendo servir de “segunda” opção ao seu consumidor.

Levantamento de Informações

A etapa mais importante do processo, a coleta de dados qualitativos para elaboração da análise. Por ser uma etapa de extrema importância e precisão, existem estratégias para a obtenção de amostras precisas ; Cliente oculto ( método de pesquisa que consiste em se passar por um cliente real na empresa investigada, para obter informações fidedignas sobre atendimento, preço, qualidade e etc. Normalmente usado quando se tem uma pequena seleção de empresas) ou Análise digital (analisa o desempenho das empresas investigadas nas redes sociais, envolvendo marketing digital e outros métodos de interação).

Esse método é muito interessante, pois o público que se faz presente nas redes sociais dos concorrentes, muito provavelmente também é o público-alvo da empresa que investiga. Observe a frequência com que postam, nível de interação com o público, meio de comunicação usado, postagens de melhor desempenho e tudo que possa gerar insumos para o entendimento da estratégia digital.

Análise

A fase da análise é a parte onde compilam-se as informações e cruzam-se os dados para conseguir conclusões assertivas. Para obtenção de qualquer inferência realmente válida, os dados precisam ser cruzados e só assim analisados, com a ajuda de ferramentas como S.W.O.T ( ferramenta que ajuda na visualização das fraquezas e forças de uma empresa).

Compare mais de um local

Provavelmente a decisão do ponto comercial é entre mais de um local, considerando diferentes vantagens e desvantagens. É importante sempre comparar questões importantes entre eles, e ponderar de forma realista qual deverá ser o local ideal considerando seus empecilhos e viabilidades.

A empresa GeoMaps de consultoria Geográfica em conjunto com a FCAP JR. Consultoria, oferece o serviço de Mapeamento sistemático, que obtém informações geográficas e válidas da melhor localização para estabelecimento de novos negócios, de acordo com as necessidades do contratante.

Isso é, a partir dos dados geográficos obtidos, conseguem inferir informações importantes e relevantes para a empresa contratante, como por exemplo um ponto de maior foco de concorrentes. A partir disso, é identificada então a localização ideal para o estabelecimento do novo negócio.

Importante mencionar também:

Acesso

Se coloque no lugar do seu cliente. Você pararia na sua loja? É muito importante levar em consideração as prioridades do cliente, o local deve ser adequado e adaptado às necessidades e características do mesmo. É nesse momento que deve ser levada em conta, por exemplo, a situação de estacionamento; se seu público costuma chegar ao local de veículo próprio, é uma ótima ideia investir em um estacionamento.

Converse com o antigo proprietário

Procure saber o motivo da saída do proprietário anterior, se seus motivos podem ser contornados e não trarão prejuízos para o seu negócio atual.

Visibilidade

Nem todos os negócios começam conhecidos o suficiente, ao ponto dos clientes irem até o local de forma voluntária. Em um novo negócio, é importante que sua loja esteja visível pois as chances de atrair novos potenciais consumidores é maior.

O estudo do Público e do Mercado para o estabelecimento de um novo negócio é de extrema importância pois garante embasamento nas decisões e segurança nos investimentos. A FCAP JR. Consultoria oferece em seu portfólio os serviços de GeoMarketing, Pesquisa de Concorrência e Focus Group. Basta clicar aqui para contatar nossos consultores, e saber mais sobre como embasar assertivamente suas decisões de negócios e impulsionar resultados.

Categorias
Gestão empresarial

A Importância do Feedback nas Equipes

Você sabe o impacto que uma cultura de feedback pode trazer para os resultados da sua empresa? Você sabe os benefícios que ela pode trazer para os seus funcionários e para o seu trabalho? E mesmo sabendo desse impacto e de todos esses benefícios, você ainda não sabe como utilizar essa ferramenta da melhor forma?

Neste artigo, vamos te mostrar exatamente esse impacto que a cultura do feedback traz para a sua empresa, a melhoria no desempenho dos seus funcionários, a formação e desenvolvimento da confiança em toda a organização e, principalmente, como utilizar essa ferramenta da forma mais adequada.

Feedback é uma ferramenta, que se utilizada da melhor maneira, gera maior confiança dentro da organização, engajamento e desenvolvimento do time. Consiste no processo de fornecer dados a uma pessoa, ajudando-a a melhorar seu desempenho dentro da organização, e tem como principal objetivo, reforçar as qualidades, melhorar os defeitos e contribuir para o crescimento profissional do seu funcionário.

Essa é uma ferramenta de extrema importância para uma organização porque, se passado de maneira correta, ela incentiva e reforça o bom desempenho dos funcionários, fazendo com que eles continuem dando o melhor de si no trabalho, aumentando também sua produtividade.

Além disso, oferece alternativas para mudar um comportamento que não se deseja ver repetido, dando uma chance para o funcionário corrigir seus erros e trabalhar com mais eficácia no futuro. E por último, incentiva as pessoas a buscarem o desenvolvimento não apenas dentro da organização, mas também o seu desenvolvimento pessoal.

Todavia, cuidado! Um Feedback não é uma verdade sobre alguém; não é uma forma de demonstrar superioridade; não é usado apenas para corrigir comportamentos e não é uma forma de desabafo, alívio ou agressão.

Todas essas observações relatadas são erros cometidos na momento em que se passa um Feedback para alguém, erros estes que podem gerar desmotivação, falta de confiança e até desentendimento entre os funcionários.

Sempre que for passar um Feedback, lembre-se que ele produz retornos e consequências. O retorno diz respeito aos reflexos do aprendizado que essa ferramenta proporciona à consciência do funcionário, sabendo exatamente quais pontos deve mudar e quais precisa melhorar. Já a consequência está ligada à motivação do funcionário em desempenhar um bom trabalho dentro da organização.

Por esses motivos, vamos ensinar a melhor forma de se passar um Feedback, aumentando a confiança e o rendimento do time.

1º passo: Tipos de Feedback

O primeiro passo para chegar no Feedback ideal é conhecer os tipos de Feedbacks que existe, que são: Positivo, Negativo e Construtivo.

O Feedback Positivo é o tipo de Feedback mais aguardado por todos, pois ele exalta os pontos positivos, como um bom comportamento, a resolução eficaz de um problema, o bom andamento das atividades que lhe foram designadas, entre outros motivos.

Ele deve ser usado quando se quer que um comportamento positivo seja repetido.

Quando se dá uma boa avaliação ao seu funcionário, você mostrará que observa sua jornada, se preocupa com o seu desenvolvimento e reconhece quando ele faz um bom trabalho, o motivando diariamente a ser mais eficaz e produtivo.

Já o Feedback Negativo é o tipo de Feedback que não é recomendável, pois mostra os pontos que precisa melhorar, como um comportamento inadequado ou algo  que afete o desempenho dele, mas não propõe um plano de ação para corrigir esses problemas.

Geralmente, quando se tem esse tipo de Feedback, o funcionário perde a confiança na pessoa que passou o Feedback para ele, fica desestimulado e desmotivado, podendo gerar um clima ruim para a organização ou o setor em que ele está inserido.

E por último, temos o Feedback Construtivo, que nada mais é do que a junção dos dois tipos de Feedbacks relatados anteriormente, onde se pode apontar algo que não esteja adequado e, junto a isso, propor uma solução para que o problema seja resolvido.

Ao identificar um ponto problemático de um funcionário e elaborar uma maneira de solucioná-lo, você passará mais confiança e irá proporcionar motivação ao invés de parecer um puxão de orelha.

2º passo: Dê o feedback o quanto antes 

Aprendido quais são os tipos de Feedback, vamos para o segundo passo, que consiste em dar o feedback o quanto antes. Quanto mais perto do acontecimento, seja ele positivo ou negativo, o quanto mais rápido você passar, mais você irá obter um retorno dele.

Além disso, escolha um horário ideal para passar esse Feedback, prestando atenção em como está o dia do seu funcionário, para não abordá-lo em um momento ruim, o que pode fazer diferença na sua abertura em receber o Feedback.

3º passo: Ser Específico

Já o 3º passo trata de ser específico na hora de passar o Feedback. Tanto comentário positivos quanto negativos precisam ser palpáveis, por isso, utilize sempre fatos observados no dia a dia do funcionário, utilizando também datas e horários específicos do acontecimento. O objetivo disso é concretizar a sua crítica e a trazer para um plano objetivo.

4º passo: Escolher um ambiente propício

O 4º passo se trata de criar um ambiente propício para a pessoa que está o recebendo. Eles não podem ser feitos em qualquer lugar, muito menos na frente de outros funcionários.

Passando o feedback em lugares inapropriados faz com que o colaborador que está o recebendo fique desconfortável com a situação e pode até se sentir humilhado. O ideal é que ele decida onde se sente mais à vontade para conversar.

Junto ao ambiente adequado, vale ressaltar a importância do tom de voz e postura adequados, sendo sempre natural, educado e tendo empatia. É notório também salientar de que esse Feedback deve ser passado pessoalmente, sendo de jeito nenhum por e-mail, WhatsApp, Chamada de Vídeo ou Celular.

Por fim, conclua de forma rápida. O fim da conversa deve ser uma breve recapitulação do que foi discutido, sem delongas. O objetivo aqui é fazer com que a pessoa continua refletindo sobre o que foi conversado, sozinho.

Seguindo esses passos, é possível passar um feedback que irá desenvolver os funcionários da empresa. É importante criar uma cultura dentro da empresa a respeito da importância do mesmo e do grande objetivo dele: o desenvolvimento daquele que o está recebendo.

Caso você queira entender mais sobre como implementar a cultura do Feedback em sua empresa, basta falar conosco. Nós, da FCAP JR. Consultoria, oferecemos treinamentos sobre o tema a fim de sensibilizar os funcionários e implementar a cultura.