Categorias
Gestão empresarial

Mapeamento de Processos: Torne a Sua Empresa mais Produtiva

Você, como gestor, já se sentiu incapaz de delegar atividades aos seus funcionários? Já se sobrecarregou com inúmeras atividades? 

Isso acontece devido a uma falta da distribuição de atividades aos responsáveis e da definição dos processos a serem realizados. Para solucionar esses problemas, fazer um mapeamento de processos é a melhor opção!

Por quê mapear os processos?

O mapeamento de processos tem a função de descrever objetivamente e em uma sequência lógica os tipos de processos que acontecem dentro da empresa fazendo com que ela se torne cada vez mais produtiva e eficiente. Segue abaixo os principais benefícios do mapeamento:

Identificação dos gargalos operacionais:  identificar quais são os principais gargalos que estão impedindo o melhor andamento das atividades. 

Padronização do processo produtivo: a padronização dos processos garante a reprodutibilidade do mesmo. 

Formalização do conhecimento: o mapeamento cataloga os processos da empresa fazendo com que o funcionamento da empresa seja conhecido por qualquer funcionário.

Otimização e aumento da produção: otimização dos processos, reduzindo os custos desnecessários que interferem na eficiência.

Melhora da qualidade do produto ou serviço: com o mapeamento de processos, a empresa recebe insumos que permitem uma melhora da qualidade dos produtos, serviços e  estrutura da empresa como um tudo.

Como mapear processos de forma eficiente?

Existem vários métodos para realizar o mapeamento e em 28 anos de experiência, a FCAP JR. Consultoria desenvolveu uma metodologia que se encaixa na realidade das empresas de acordo com as dificuldades mais comuns observadas por nossa equipe nas empresas pernambucanas.

A metodologia tem o objetivo de definir o roteiro que contenha conhecimentos, ferramentas e técnicas para a execução do serviço. As etapas definidas são: A Coleta de dados, o Mapeamento As is e o Mapeamento To be.

1ª etapa: Coleta de dados

Nessa etapa, o intuito é de recolher o máximo de informações possíveis, identificando os responsáveis por cada atividade bem como sua frequência e duração, registrando todos os detalhes mesmo aqueles julgados como não tão importantes.

É de suma importância que os funcionários entendam as melhorias que o serviço irá trazer e a colaboração deles em fornecer os dados de forma fidedigna otimizando o processo.

Um meio de realizar essa conscientização é o Workshop de sensibilização que é realizado com a empresa, onde são repassadas as informações do serviço de forma transparente.

2ª etapa: Mapeamento As is

O mapeamento as is (como é) é o mapeamento elaborado a partir da análise dos processos coletados na etapa anterior e tem como função mapear os processos como eles realmente são executados na empresa.

Essa etapa fornece um panorama dos processos para realização de uma análise mais detalhada que irá apontar quais os pontos fortes e fracos da empresa e quais os gargalos que estão restringindo a capacidade produtiva.

Com a identificação dos gargalos, é possível traçar planos de ação para trabalhar em busca de melhorias para o processo.

Podemos observar um exemplo prático disso quando é analisado o processo de atendimento de um Restaurante: um processo não otimizado, onde uma funcionária tem que fatiar os ingredientes de forma manual, acaba atrasando toda a produção de pizza, o que torna o atendimento ao cliente mais demorado. Esse gargalo pode ser identificado em um Mapeamento as is.

3ª etapa: Mapeamento To be

O Mapeamento To be é a remodelagem dos processos, ou seja, é encontrar soluções para os problemas analisados na etapa anterior e criar um novo mapeamento de processos que deverá ser seguido pelos funcionários na hora de executar as tarefas.

No Mapeamento é criado um padrão de qualidade que será mantido mesmo no caso em que a tarefa tenha que ser realizada por outra pessoa, otimizando os processos e eliminando o trabalho desnecessário.

Após redesenhar os processos no Mapeamento To be, é importante repassar todo o novo fluxo de trabalho para os funcionários, fazer uma sensibilização, e, se for o caso deixar exposto na empresa os novos processos.

Voltando ao exemplo da pizza, uma remodelagem no processo seria a implementação de uma máquina que auxiliasse a cortar os materiais,otimizando o tempo de produção e melhorando o tempo de espera do produto.

Formas de apresentação do Mapeamento de Processos

O Mapeamento pode ser apresentado através do BPMN (Business Process Model and Notation) que é uma notação gráfica que descreve as etapas de um processo de negócios. O BPMN descreve o fluxo do processo de ponta a ponta e atualmente é a notação mais adotada e utilizada no mundo.

As principais vantagens do uso dessa notação são a sua vasta adoção pelo mercado mundial e o estabelecimento de uma linguagem única para o mercado como um todo.

Os processos são elaborados a partir do  BPMCBOK  que é um guia de boas práticas sobre o BPMN que consiste na instrução do gerenciamento de processos de negócios. É uma material que pode ser associado ao PMBOK (material que instrumenta as boas práticas no gerenciamento de projetos).

Para modelar é necessária uma ferramenta, como por exemplo o Bizagi, onde o Mapeamento será realizado de acordo com as boas práticas do BPMCBOK e a linguagem do BPMN.

                               Mapeamento do processo de compras

Uma desvantagem do BPMN é que ele não é de fácil entendimento para todos os funcionários da empresa, dificultando a utilização no dia a dia em geral. Para esse objetivo é mais indicado mapear os processos de forma mais visual para facilitar o entendimento dos funcionários no dia a dia como a FCAP JR. mapeou o processo abaixo:

Conclusão

Portanto, é evidente que toda empresa deve ter os processos bem definidos e que  a definição desses processos através do Mapeamento é a melhor solução para identificar e resolver os problemas que afetam a produtividade da organização.

Ao se preocupar em ter os processos bem definidos, uma empresa se torna mais estruturada e preparada além de que o Mapeamento de Processos fornece outros benefícios como: redução de gastos desnecessários, aumento na qualidade, integração entre as áreas e melhor aproveitamento do tempo.

A FCAP JR. Consultoria possui o serviço de Mapeamento de Processo em nosso  portfólio e você pode solicitar uma reunião gratuita através deste link.Estamos 100% disponíveis para te ajudar!

 

 

Categorias
Gestão empresarial

5 passos para fazer um recrutamento de pessoas que atraia os melhores

Uma má contratação pode mexer com o entrosamento e o dia-a-dia da equipe de trabalho, causando uma queda de desempenho da empresa como um todo.

Por isso, o recrutamento de pessoas é uma etapa primordial para o crescimento da sua empresa.

Pensando nisso, criamos um guia completo de como fazer um recrutamento de pessoas que garanta que os melhores candidatos sejam encontrados.

Então, se quer garantir um time de alta performance, continue lendo.

Passo a passo para fazer o recrutamento de pessoas da maneira certa

1. Defina do Perfil do Candidato

O primeiro passo do recrutamento de pessoas é definir todos os pré requisitos, as aquisições da vaga, e o perfil que o candidato ideal tem que ter.

Esse alinhamento é importantíssimo para guiar o processo de recrutamento de pessoas como um todo.

Pois, é a partir dele que você conseguirá direcionar a divulgação do Processo Seletivo, realizar uma triagem mais precisa e assim e atrair candidatos mais qualificados para as entrevistas.

2. Divulgue o Processo Seletivo

Uma vez criado o perfil ideal do candidato, isso te ajudará na parte de divulgação do processo seletivo.

Pois, uma vez sabendo quem você quer atrair, entenderá mais facilmente onde ele pode estar.

Então, vamos conhecer os principais canais de divulgação de processos seletivos.

Divulgação em mídias sociais

O primeiro passo é a elaboração de uma arte, que deve ser criada visando o público alvo de candidatos que você quer atingir.

Por exemplo, se a vaga em questão for para estagiários, é interessante elaborar uma arte mais atrativa e visual, para conseguir atrair o público desejado.

Depois dessa elaboração é muito importante saber onde divulgar, porque quanto mais direcionada essa divulgação, mais assertivo serão os perfis dos seus candidatos.

E existem ferramentas digitais que podem ser utilizadas para isso.

Uma delas é a divulgação segmentada do Facebook, onde você pode selecionar o público que vai ter acesso a essa arte.

Você pode, abordando o mesmo exemplo dos estagiários, direcionar a arte apenas para estudantes de determinadas universidades e determinados períodos.

Além dessa divulgação mais segmentada, é interessante também divulgar a vaga nas demais mídias sociais da empresa.

O Instagram é um ótimo exemplo, pois geralmente tem um alcance maior de pessoas, e o Linkedin que já tem um viés mais profissional.

Plataformas online de emprego

Existem, também, algumas plataformas onlines, que geralmente são gratuitas, onde as vagas podem ser divulgadas.

Uma dessas plataformas é o vagas.com, que tem cerca de 150 milhões de visualizações e recebe aproximadamente 400 mil visitantes por dia.

Uma de suas vantagens é a variedade de formatos de banners que eles aceitam.

Além dela, outra plataforma interessante é o Catho, que é uma empresa de divulgação de vagas de grande referência e tradição.

Por ser muito conhecido, grande parte dos empregadores fazem o recrutamento de pessoas por ela.

Logo, é onde a maioria dos candidatos procuram por oportunidades.

No geral, o processo para a divulgação é bastante simples, é apenas a especificação da vaga e o preenchimento dos seus dados e dos dados da sua empresa.

E o melhor, a plataforma é 100% gratuita!

3. Faça a triagem de currículos

Chegou a hora de triar os currículos recebidos após a divulgação da vaga.

Essa triagem será feita para que os melhores candidatos sejam selecionados para a próxima fase.

Nessa fase é essencial a consulta constante do Perfil do Candidato (definido no primeiro passo) para realizar a triagem de currículos baseada nos pré requisitos da vaga.

Porém, no geral, os currículos serão semelhantes.

Caso você tenha recebido muitos currículos e ainda não tenha conseguido triar o suficiente, uma alternativa é a utilização de um formulário ou a elaboração de uma dinâmica de grupo.

4. Realize dinâmicas de grupo/Formulário

Elaboração de uma dinâmica de grupo

A dinâmica de grupo é um fator essencial para conhecer mais sobre o perfil do candidato, seu comportamento, suas competências pessoais e sua habilidade em trabalhar em equipe.

E, para que você possa entender mais como ocorrem os processos nessa fase do recrutamento de pessoas, destrinchamos as 5 fases principais para a realização de uma dinâmica de grupo:

1. Quebra-gelo

É uma etapa muito utilizada no início das dinâmicas de grupo, para ajudar a deixar os participantes menos tensos e um pouco mais desinibidos, fazendo com que eles mostrem mais a sua personalidade.

É importante que nessa fase os candidatos se apresentem para todos os presentes.

2. Atividade individual

É uma atividade essencial para conhecer como o participante trabalha individualmente.

Além disso, é interessante também que, depois da realização dessa atividade, os candidatos compartilhem aquilo com o grupo para ser possível perceber sua habilidade em transmitir seus conhecimentos e suas ideias.

3. Atividade de integração

É nessa fase que os avaliadores poderão observar o trabalho em grupo do candidato, sua comunicação, sua liderança e sua proatividade.

Geralmente nessa fase são utilizadas atividades mais lúdicas ou resolução de problemas reais do nosso dia a dia.

4. Atividade de encerramento

Essa última etapa é importante para receber um feedback dos participantes a respeito da dinâmica e acerca do seu próprio trabalho.

Também é essencial que a empresa em questão comunique a respeito de próximas fases do recrutamento de pessoas.

Geralmente é mais ampla e são realizadas perguntas sobre as atividades realizadas e seu desempenho pessoal dentro do grupo.

Formulário

Um formulário é utilizado como uma alternativa para conseguir fazer uma triagem mais fidedigna e encontrar o perfil que está sendo procurado para as entrevistas.

Ele pode ser feita com plataformas como:

Além disso, por ser uma alternativa a dinâmica de grupo, geralmente é aplicado entre a triagem dos currículos e a entrevista.

Então deve ser enviado para aqueles que passaram pela primeira triagem, etapa onde foi levado em consideração apenas os pré-requisitos da vaga.

A intenção deste formulário é entender melhor sobre o perfil dos candidatos, e essa é  uma forma de prática e simples de visualizar isso através da análise dessas respostas.

Devem ser feitas com perguntas de cunho mais pessoal, falando sobre experiências do candidato, para conhecer ao máximo o perfil dos participantes e reduzir o número de entrevistados, selecionando apenas aqueles realmente qualificados.

5. Entreviste

Chegamos a última etapa.

Quando todos os candidatos mais qualificados por perfil são escolhidos, você poderá fazer uma entrevista mais pessoal com eles.

Assim, você garantirá mais assertividade durante o recrutamento de pessoas.

Então, vamos entender algumas técnicas de entrevista que podem te ajudar.

Técnicas de entrevista

Para a realização das entrevistas, é interessante a elaboração de um checklist básico para que todos os pontos necessários sejam abordados.

Também, é essencial deixar o candidato confortável, para que se possa tirar o máximo de insumos possíveis dele.

Um fator importante para que os aspectos principais de cada candidato não sejam esquecidos, é uma reunião que deve ser realizada logo após a entrevista.

Onde devem ser discutidos todos os pontos positivos e negativos observados naquele determinado candidato (caso a entrevista tenha sido feita com 2 pessoas).

Uma boa opção é que, durante essa discussão entre os entrevistados, fazer uma gravação para que todos os pontos do candidato sejam registrados para serem utilizados para posterior analogia com os outros participantes.

Outra opção seria a elaboração de um checklist com os principais pontos que devem ser discutidos, levando também em consideração o que está sendo procurados no candidato, para ser discutido depois das entrevistas pelos avaliadores.

Conclusão

É interessante que, ao final do recrutmaneto de pessoas, seja elaborada uma planilha de banco de dados, contendo informações sobre todos os demais entrevistados.

Fornecendo todos os dados pessoais e pontuando seus aspectos positivos e negativos. Que te ajudará em um futuro recrutamento de pessoas.

Também, entrar em contato com aqueles candidatos que não passaram, passando, caso necessário algum feedback, para mostrar uma sensibilidade da parte da empresa.

Segundo a Endeavor, montar uma equipe motivada e alinhada é determinante para o sucesso dos seus negócios.

Portanto, para garantir que você atraia as melhores pessoas para sua empresa e, consequentemente, monte uma equipe motivada que assegure o sucesso do seu negócio, utilize esses 5 passos.

Categorias
Gestão Estratégica

Matriz FOFA: o guia para implementar na sua empresa

E se houvesse um jeito de mitigar as fraquezas da sua empresa, prever ameaças e descobrir oportunidades que irão te destacar dos seus concorrentes?

Através da Matriz FOFA você conseguirá analisar o ambiente ao seu redor e traçar os melhores planos de ação para aumentar seus resultados.

Por isso, vamos te ajudar hoje a usar essa ferramenta simples e poderosa para tirar insights do seu negócio, te dando uma vantagem competitiva.

Acompanhe!

O que é a Matriz FOFA?

A Matriz FOFA é um sistema simples para posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa no ambiente em que se encontra.

Por isso, ela se torna uma ferramenta essencial no embasamento do empreendedor para tomadas de decisões.

Pois, a partir da análise do ambiente em questão, ela oferece insumos sobre o mercado e sobre sua organização.

analise swot

Esses insumos são gerados a partir do cruzamento dos dados feitos pela ferramenta, que serão explicados mais adiante, e podem ser utilizados para elaborar o planejamento estratégico da empresa.

Porém, a matriz FOFA não serve apenas para elaborar planejamentos estratégicos e ver seu posicionamento no mercado, mas também para a elaboração de novos projetos.

Em sua essência, ela mede as:

  • Forças (Stregths);
  • Oportunidades (Opportunities);
  • Fraquezas (Weakenesses) internas da sua empresa;
  • Ameaças (Threats) externas à sua empresa.

Como funciona a Matriz FOFA?

Como citado anteriormente, a Matriz FOFA mede as forças, as fraquezas, as oportunidades e as ameaças.

Porém, para obter um guia que de fato forneça insumos para você, é importante que entenda o conceito de cada ponto citado.

O que são as forças?

As forças são os elementos do ambiente interno do seu negócio, com potencial, que a sua empresa possui para conseguir alavancar os resultados que você almeja.

São as vantagens que a sua empresa tem sobre suas concorrentes.

Exemplo: Bom relacionamento com os fornecedores.

O principal objetivo de se analisar as forças da sua empresa é saber  a competitividade que elas podem trazer para o seu negócio.

Quanto mais forças forem identificadas, mais relevantes elas serão para tomadas de decisão.

Algumas perguntas que você pode se fazer para identificar as forças da sua empresa são:

  • Quais são minhas melhores atividades?
  • Quais são meus melhores recursos?
  • O que eu tenho que minhas concorrentes não possuem?
  • Qual o nível de engajamento dos clientes?

E quanto as fraquezas?

Já as fraquezas são os elementos internos que atrapalham o seu negócio, impedindo-o de conseguir alcançar seu objetivo.

Porém, é importante ressaltar que nesta etapa é fundamental haver sinceridade, para então poder traçar os melhores planos de ação para mitigá-las.

Exemplo: Baixa conversão de vendas.

Algumas perguntas que você pode fazer para identificar as fraquezas da sua empresa são:

  • Por que meu cliente escolheu a concorrência?
  • Quais os gargalos que existem nos meus processos?
  • O que posso evitar de equivocado na empresa?

E as oportunidades?

As oportunidades são as situações externas à empresa que podem acontecer e que se pode usar ao seu favor para alcançar os resultados desejados.

São as tendências, processos culturais, variações no mercado, na economia.

Nelas são encontrados gaps que podem ser preenchidos ou podem alavancar ainda mais o negócio, portanto, sua empresa deve aproveitar as oportunidades.

Exemplo: Produto diferenciado no mercado.

Algumas perguntas que você pode fazer para identificar as oportunidades da sua empresa são:

  • Onde os concorrentes falham?
  • Há alguma inovação tecnológica eminente? Se sim, quais
  • Como pode ser aplicada na sua empresa?
  • Como e em que agregar valor para criar demanda?
  • Quais são as tendências que podem ser percebidas entre os concorrentes e no mercado? Como se diferenciar delas?

Por fim, as ameaças

Na matriz FOFA, as ameaças são os fatores externos à empresa que podem acontecer e que impedirá os bons resultados da empresa, impedindo-a de alcançar seu objetivo.

Alguns exemplos de ameaças para sua empresa são:

  • Novos concorrentes
  • Perda de trabalhadores fundamentais
  • Mudança de leis e parâmetros regulamentadores
  • Pirataria de seus produtos

Como fazer o cruzamento da Matriz FOFA?

Para poder realizar o cruzamento da Matriz FOFA e, a partir disso, definir os planos de ação, é necessário estar com a análise bem estruturada.

Neste cruzamento, será analisado a influência que as forças e fraquezas possuem sobre as oportunidades e as ameaças.

A partir disso, podem ser traçadas quatro estratégias:

  • Ofensiva: Pontos Fortes x Oportunidades (FO)
  • Confronto: Pontos Fortes x Ameaças (FA)
  • Reforço: Pontos Fracos x Oportunidades (FO)
  • Defesa: Pontos Fracos x Ameaças (FA)

Estratégia ofensiva

A Estratégia Ofensiva é empregada no cenário mais otimista da sua empresa.

Ela ocorre quando você utiliza uma força para ajudar na probabilidade de uma oportunidade acontecer, potencializando-a.

Consiste em uma estratégia que visa o crescimento e desenvolvimento dos pontos positivos da sua empresa.

Então, realizando o cruzamento de uma força que influencia diretamente em uma oportunidade, você vai elaborar a melhor estratégia ofensiva para aumentar as chances dessa oportunidade acontecer em sua empresa.

Estratégia de confronto

Na Estratégia de Confronto, você vai utilizar o seu ponto forte para diminuir a probabilidade de uma ameaça identificada acontecer na sua empresa.

Então, se trata de uma estratégia que tende a causar um conforto a sua empresa, a partir do momento que você diminui a ameaça externa a sua empresa.

Porém, é importante realçar que é a partir desse cruzamento que você vai diminuir as chances de uma ameaça ocorrer na sua empresa, então vale analisá-la cuidadosamente.

Nessa parte, você vai desenvolver estratégias que estejam de acordo com o seu negócio.

Estratégia de reforço

Já a Estratégia de Reforço serve para você pensar em como o ponto fraco da sua empresa pode impedir, ou diminuir, a chance da sua oportunidade de acontecer.

O principal objetivo dessa estratégia é diminuir as fraquezas da sua empresa de modo que não atrapalhem o seu ambiente externo.

Estratégia de defesa

E por fim, a Estratégia de Defesa, onde sua empresa se encontra no cenário mais crítico e pessimista.

Tem como finalidade minimizar perdas e impactos negativos que as fraquezas e ameaças podem causar na sua empresa, ponderando como diminuir as chances de uma fraqueza tornar realidade uma ameaça.

Conclusão

A Matriz FOFA é uma ferramenta que pode trazer resultados incríveis para o negócio.

Porém, quando mal implementada, sem entender como funciona os cruzamentos das análises, bem como o que colocar nas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, não trará os resultados esperados.

Por isso, esperamos que você use nosso passo a passo para te ajudar a desenvolver ideias poderosas para seu negócio.

Categorias
Gestão empresarial

Plano de Cargos: o Guia Completo para Implementá-lo na Sua Empresa

Você sabia que um Plano de Cargos  pode ser exatamente o que você estava procurando para reter mais funcionários e motivar a equipe?

O Plano de Cargos é uma ferramenta que irá te auxiliar dentro de sua empresa a organizar uma estrutura salarial e um planejamento de carreira capaz de reter seus colaboradores e atrair novos funcionários.

Este plano assegura um tratamento equitativo estabelecendo políticas justas e competitivas assegurando deveres e direitos dos seus colaboradores, transparecendo para ele as regras de ascensão e política salarial da empresa.

Pensando nisso, continue lendo esse conteúdo para entender melhor sobre a importância de um Plano de Cargos e Carreiras dentro da sua empresa e como implementá-lo de maneira eficaz em sua empresa. 

Mas, quais são as vantagens de implementar o Plano de Cargos em sua empresa?

Um Plano de Cargos efetivo tem como principal benefício o maior engajamento dos colaboradores, já que este esquematiza todas as possíveis ascendências de cargo e o tempo correto para alcançar o lugar almejado. O plano proporciona um sistema meritocrático de acordo com o método de progressão escolhido pela empresa.

Além disso, ele ajuda a diminuir o índice de rotatividade já que os funcionários passam a ficar mais engajados terem consciência do quão longe podem chegar. Essa prática visa tornar a empresa cada vez mais sustentável, retendo talentos e motivando pessoas que são recompensadas de acordo com o seu desempenho.

Devido a todos esses benefícios, nós fizemos um guia completo e super didático contendo um passo-a-passo de como implementar um Plano de Cargos, Carreiras e Salários eficiente dentro do seu empreendimento.

Descrição de Cargos

O primeiro passo para elaborar o Plano de Cargos na sua empresa é elaborando uma descrição de cargos.

Mas o que é uma descrição de cargos? A “DC” é a formalização de todas as competências, habilidades, deveres e responsabilidades que determinado cargo tem dentro da empresa. Ela dá uma visualização clara das atribuições do trabalho do funcionário e o quanto ele impacta no desenvolvimento da empresa, além de ajudar a torná-lo mais produtivo.

Para elaborar a DC, será preciso a colaboração de todos os funcionários de todos os setores, onde a empresa irá coletar dados afim de ter um conhecimento global sobre todas as áreas, podendo essa coleta ser feita, por exemplo, através de questionários ou de entrevistas.

Após essas informações serem obtidas, chegou a hora da construção do documento da Descrição de Cargos, que pode adotar diversos pontos diferentes na sua estrutura. Ela pode e deve ser flexível à realidade da sua empresa.

  • Identificação: identifique o nome do cargo, e seja criterioso para escrevê-lo corretamente e por completo. Também é importante definir o setor a quem o cargo pertence e o número correspondente na CBO –  a classificação brasileira de ocupações.
  • Missão: explique o principal objetivo que o cargo deve atingir. Indique o que o cargo faz, para que ele faz e sua abrangência.
  • Atividades: descreva quais são as atividades desempenhadas visando atingir o objetivo do cargo. O que faz? Como faz? Porque faz?
  • Experiência: tempo de experiência profissional necessário para atingir o desempenho desejado. Indique o tempo e/ou tipo de experiência.
  • Formação acadêmica: indique o grau de instrução mínimo e desejável que uma pessoa deve ter para exercer a função.

Mas ainda há outros complementos que sua empresa pode adotar, como por exemplo os treinamentos necessários para aquele cargo, os desafios que são esperados, condições de trabalho, responsabilidades gerenciais, etc.

A FCAP JR. Consultoria tem um material completo sobre descrição de cargos, para saber mais, acesse esse link.

 

Organograma

O segundo passo para realizar o Plano de Cargos é realizar um Organograma.

Essa fase é uma das mais fáceis, já que todas as informações que são necessárias já foram coletadas durante o primeiro passo.

O Organograma representa a estrutura formal da sua empresa, sendo ele reproduzido como forma de diagrama, demonstrando relações de comunicação e hierarquia.

 Ele tem a capacidade de tornar a estruturação organizacional mais transparente, além de deixar claro para funcionários e stakeholders o seu posicionamento dentro da empresa, demonstrando visualmente cada área da empresa e seus colaboradores, com o intuito de esclarecer dúvidas.

O organograma é importante para o Plano de Cargos, pois demonstra de maneira visual, a posição que seu colaborador se encontra atualmente e o “caminho” que ele pode percorrer dentro da empresa, sendo o plano um auxílio de como ele deve traçar esse caminho.

A primeira coisa a ser feita para construção do organograma é identificar a posição hierárquica de cada cargo. Para isso, pode ser realizado primeiramente o organograma em barras, que funciona como um esboço provisório em sua elaboração.

Após a criação de um esboço, chegou a hora de elaborar o organograma que será utilizado na sua empresa. Existem diversos modelos que podem ser usados, desde os mais clássicos até modelos mais inovadores, que ressaltam a ideia de maior colaboração das áreas.

O organograma vertical é o formato mais clássico. Ele demonstra a hierarquia da empresa de maneira clara, já que de cima para baixo você tem as principais posições indo até as mais operacionais.

Outro modelo que pode ser adotado, é o Organograma Circular, ou Radial, que se diferenciam pela ênfase no cliente, mostrando que todas as áreas têm igual responsabilidade por ele, colocando-o no centro. Além disso, ele mostra as áreas lado a lado, ressaltando a importância do trabalho em grupo e da proximidade das áreas.

Métodos de Progressão 

Depois de se realizar a Descrição de cargos e o Organograma, o próximo passo é definir os métodos de progressão para a próxima fase, sendo essa a fase onde se deve ter uma grande atenção, pois nela será definido o critério de avaliação dos colaboradores dentro do Plano de Cargos.

 

Uma das principais razões da criação de um plano de cargos na empresa é a valorização dos colaboradores e a seguridade da igualdade de deveres e direitos do funcionário, além de ser uma maneira mais assertiva e meritocrática na hora de um funcionário ser promovido em um cargo.

 

O método de progressão proporciona um julgamento sistemático na hora de estabelecer aumentos salariais, promoções ou transferências.

 

Existem vários métodos de se avaliar quem é a pessoa mais indicada (ou as pessoas) a ser promovida, entre eles os mais comuns seriam através da avaliação de desempenho, por competências e por pontos. Existem ainda outras formas de avaliação, como por exemplo avaliação por provas e entrevistas.

 

Primeiro, deve-se escolher qual ou quais métodos devem ser utilizados nessa fase, podendo se usar métodos combinados, ou até mesmo diferentes métodos para diferentes cargos. Neste conteúdo, será explicado como implementar dentro de sua empresa o método por avaliação por competências.

A avaliação por competência é uma análise do desempenho de cada profissional da empresa, em função das tarefas que desempenha (de acordo com a DC), das metas que possui, das atitudes que são esperadas e dos resultados a serem alcançados, além do seu potencial de desenvolvimento.

Ela é uma forma meritocrática de se avaliar o desempenho dos colaboradores não apenas no cargo atual, mas no que ele pode exercer.

Ela  traz como vantagem a identificação de problemas, podendo ser  essencial para uma tomada decisões estratégicas rápidas caso algo precise ser mudado, além de medir o desempenho técnico e comportamental do funcionário enquanto atua como um sistema de reconhecimento justo.                                                            

Para implementar a avaliação de competências, é necessário primeiramente definir quais os pontos que esse funcionário deverá  ser avaliado, podendo ser levado em consideração as competências necessárias para o seu cargo atual e as necessárias para o seu cargo imediatamente superior.

 A FCAP JR. Consultoria possui um material de avaliação de desempenho sobre como realizar uma boa avaliação, para acessar clique aqui.

Em seguida, é definido como isso será pontuado. Uma das maneiras de se fazer é de acordo com a Escala Likert, onde se pontua como:

É interessante colocar uma quantidade ímpar de alternativas, dando uma opção neutra a quem estiver avaliando. Além disso, umas quantidades reduzidas de alternativas tendem a ser mais positiva, já que quando os números vão de 0 a 10, as pessoas tendem a evitar os extremos.

Chegou a hora de rodar essa avaliação. Existem algumas ferramentas online que facilitam na hora das pessoas responderem, para evitar o trabalho de ser rodado na forma de papel, como é o caso do Google Forms, e do site Sunvey Monkey.

Tabela Salarial

O quarto passo para realizar o Plano de Cargos é a realização de uma Tabela Salarial.

 

A tabela salarial funciona como uma padronização nos salários de cada classe dentro dos cargos, classificando cada profissional dentro de sua função, conforme seu conhecimento e experiência, além de proporcionar um melhor monitoramento da folha de pagamento e dos colaboradores contratado.


Ela cria expectativas de promoção e estabilidade para todos os funcionários, visto que são estabelecidos critérios para que os salários cresçam de forma coerente e criadas condições que mostrem a possibilidade de crescer dentro da empresa. A partir daí, profissionais mais especializados são formados e ficam mais engajados e comprometidos com o desenvolvimento da empresa, mantendo o equilíbrio da remuneração.

 

Para a criação da tabela salarial, primeiro é preciso definir quantos níveis horizontais e verticais serão criados dentro dessa progressão. Cada nível horizontal representa um “aumento de salário”, que acontecerá de acordo com o método de progressão escolhido pela sua empresa no terceiro passo de implementação do Plano de Cargos.

Segue abaixo um passo-a-passo de como implementar uma tabela salarial na sua empresa:

1º passo: Definir qual será o salário-base de cada categoria ou função.
2º passo: Definir qual será o maior salário de cada categoria ou função
3º passo: Definir faixas de acordo com a progressão, por níveis ou classes.
4º passo: Definir porcentagem que será aplicado em cima dos valores da progressão.

Compilando todos esses dados em um documento, você conseguirá implementar um Plano de Cargos e Salários em sua empresa! Caso você tenha alguma dúvida em como implementar o Plano, entre em contato conosco. Estamos 100% disponíveis para te ajudar.